Benjamin Teixeira
pelo espírito
Eugênia.

Ora, ora, ora! – disseram-lhe, cheios de deboche – é o santinho a supor-se melhor que os outros?

Ignore, todavia, o que pensam de você, quando dá de si o seu melhor. Pouco importa o que digam ou pensem a seu respeito, se está com a consciência em paz e cumpre o seu dever. Quando mais se sentir consternado, com a incompreensão e a injustiça a que se veja enlaçado, pela maldade alheia, mude o foco de suas percepções e logo notará gente perto de si que lhe quer bem e lhe compreende as iniciativas generosas.

Os ingratos e os cruéis tentam, a todo custo, roubar a atenção dos servidores fiéis da verdade. Entretanto, estando eles devidamente alertados, podem simplesmente recusar-se a dar cidadania mental às expressões de mesquinharia e vulgaridade dos que se sintonizam com o mal. Destarte, desvie o foco da atenção para aqueles que realmente lhe merecem crédito, atenção e carinho.

(Texto recebido em 19 de setembro de 2004.)