Benjamin Teixeira
pelo espírito
Eustáquio.

Tu, que te situas entre o bem e o mal, com respeito à diversidade dos caracteres humanos, cuidado com o relativismo exagerado: muita tolerância à ambigüidade tanto pode indicar elevado grau de maturidade psicológica, quanto revelar traços de cinismo e displicência moral.

Assim, quando estiveres incurso em situações melindrosas, em que o lusco-fusco das questões éticas e espirituais confunda o discernimento, com propostas de complacência indiscriminada, quanto, de reversa maneira, de radicalismo fanático, procure, acima de tudo, auscultar a voz da consciência, alinhando-se com as mais elevadas expressões de moral, espiritualidade, pelos termômetros da paz e do sentimento de dever cumprido, com isso tomando o rumo equilibrado e sensato que lhe for alvitrado pela voz da intuição e do bom senso.

Se fizeres isso, estarás na rota do bem, no caminho da Divina Bondade, e, destarte, acertarás, a despeito de todas as sutilezas e sinuosidades do percurso.

(Texto recebido em 18 de setembro de 2004.)