Benjamin Teixeira
pelo espírito
Eugênia.

Em janeiro de 1918, já havia ficado clara a iminente derrocada da Alemanha, até mesmo para os mais pessimistas opositores ao regime. O mesmo se diria da Alemanha nazista de ’45. Não havia dúvidas de que a bancarrota do Füher estava próxima (*).

O mesmo se pode dizer de situações iminentes, na vida particular de indivíduos. Prognósticos mediúnicos acontecem em regime semelhante, embora menos óbvio, de análise. Quem de fato analisa tendências, procura por dados concretos. Quem intui tendências precisa sentir “algo no ar”, uma energia que pode ser captada e lida, uma certa vibração que contém informações e que, com isso, comunica acontecimentos que estejam para acontecer.

Assim, quando vir uma premonição se concretizar, vaticinado por um paranormal ou um médium, não suponha que o livre-arbítrio das criaturas envolvidas na ocorrência tenha sido derrogado, ou que a liberdade individual seja um engodo. Apenas, compreenda isso: perto de ocorrer, certos eventos já estão certos, nos horizontes do destino, de modo que divisá-los é natural para quem é dotado de uma sensibilidade mais aguçada para a pré-cognição.

(Texto recebido em 26 de agosto de 2004.)


(*) Eugênia alude ao término das duas grandes conflagrações mundiais, respectivamente com a extensão de 1914-1918 e 1939-1945 e aos regimes e líderes da nação germânica em tais períodos conturbados da História.

(Nota do Médium)