Benjamin Teixeira
pelo espírito
Eugênia.

Credulidade é ruim. Fé é essencial.
Talvez você associe toda expressão de fé ao primarismo psicológico daqueles que se confiam a crendices populares, superstições baratas ou fanatismos anacrônicos. Esteja certo, porém, de que entre a fé verdadeira e a crendice vulgar existe uma distância tão grande quanto a que há entre o batuque de um silvícola e a beleza de uma grande sinfonia.

Se você valoriza a razão e a lógica, o raciocínio frio e o espírito crítico, isso é ótimo! – continue assim: será mais lúcido e menos passível de erros graves que se não for. Todavia, não imagine que, para ser maduro, inteligente e sábio, em níveis de excelência, possa dispensar o exercício da espiritualidade própria, porque ela constitui o coroamento das percepções mais avançadas do ser humano, uma construção complexa do grande poder de abstração das mentes mais desenvolvidas, aptas a enxergar além das aparências, e concluir além das premissas mais óbvias.

Pense em Deus e seu cérebro funcionará melhor. Crie uma relação com Deus e suas chances de alcançar a plenitude centuplicarão. Ignore o Espírito, e estará se fadando à infelicidade.

(Texto recebido em 27 de julho de 2004.)