O Instituto Salto Quântico (ISQ) ou Sociedade Filantrópica Maria de Nazaré (razão social) é uma escola de pensamento espiritual-cristão de cunho universalista, que ostenta o lema “espiritualidade com ou sem religião” e não tem qualquer vinculação com outros movimentos espiritualistas ou religiosos formalmente organizados.

Fundado (em 1988) e presidido pelo orientador espiritual, médium, escritor, palestrante e apresentador de TV Benjamin Teixeira de Aguiar, o ISQ divulga, por meios de comunicação de massa (especialmente as redes sociais on-line), princípios intemporais de sabedoria e concepções novas de espiritualidade, sintetizando-os em mensagens de esclarecimento, conforto e motivação espirituais que primam por uma abordagem racional-pragmática, interdisciplinar e atualizada às necessidades da pós-modernidade.

Seu objetivo basilar é fomentar o pensamento livre e lúcido, o discernimento crítico com foco no bem comum, o espírito de propósito altruístico, de responsabilidade social e de cooperação interdependente entre todos os seres, promovendo, por conseguinte, os ideais da paz, da felicidade e da confraternização mundiais.

Em 2018, o ISQ conquistou status consultivo especial junto ao Conselho Econômico e Social (ECOSOC) da ONU, participando, desde então, de fóruns internacionais de vulto, a fim de colaborar ativamente com causas humanitárias de capital relevância, sobretudo no âmbito da igualdade de gênero e do desenvolvimento sustentável.

Atualmente, a sede principal do ISQ está instalada em LaGrange, Nova York, de onde partem todas as diretrizes que norteiam as atividades e realizações da organização.

Com base precípua no pensamento de Jesus, conforme exarado nos quatro Evangelhos canônicos, e em consonância com os avanços multiculturais do conhecimento humano, notadamente os advindos das ciências sociais e humanas, como a psicologia (em particular, a analítica e a transpessoal), a filosofia, a arte e a história, o ISQ preconiza essencialmente os seguintes postulados, objetivos e frentes de ação:

• Respeitar o ser humano, em sua multidimensionalidade integral: desde a esfera física à espiritual, passando pela emocional, psicológica, intelectual-cognitiva, vocacional, profissional, artística, lúdica, familiar, social etc.

• Defender os direitos e liberdades individuais, bem como a igualdade fundamental entre todas as pessoas, sem qualquer distinção de raça, cor, sexo, orientação sexual, identidade de gênero, idade, profissão, classe social, nacionalidade, religião, convicções ideológicas etc.

• Combater toda ordem de posturas preconceituosas e discriminatórias, sobremaneira em relação a segmentos sociais historicamente oprimidos, marginalizados ou perseguidos, como os constituídos por mulheres, negros(as) e integrantes da comunidade LGBTQIA+.

• Apoiar causas humanitárias, mormente no campo da evolução das ideias e dos costumes, salvaguardando, em contrapartida, as conquistas civilizatórias e as contribuições intemporais das diversas culturas e tradições espirituais do planeta.

• Promover o bem comum e o espírito de propósito altruístico, de responsabilidade solidária, de fraternidade sem fronteiras, estimulando a colaboração consciente de indivíduos e povos na busca de soluções para as problemáticas locais e globais, com vistas ao progresso coletivo e à garantia de condições dignas de vida para todas as pessoas.

• Preservar o meio ambiente, a biodiversidade e o equilíbrio ecossistemático, com lastro na consagrada diretriz do desenvolvimento sustentável.

• Fomentar os movimentos de “empoderamento” – ou reconhecimento do poder – de mulheres e meninas, pela valorização e potencialização dos atributos intrinsecamente vinculados à feminilidade, como sensibilidade, intuição, empatia, zelo, devoção etc., virtudes essas imprescindíveis não só para a abolição dos efeitos destrutivos do patriarcalismo multimilenar, cujas expressões exacerbadas ameaçam de extinção a biosfera e os patrimônios civilizacionais da humanidade, mas principalmente para a construção de um mundo mais igualitário, cooperativo e feliz para todos e todas. (Vide “Maria Cristo – A Revelação”)


Outra perspectiva
sobre o Instituto Salto Quântico

Trata-se de uma iniciativa interreligiosa de conscientização das massas, que visa despertar o sentido de responsabilidade pessoal e coletiva pela transformação e composição da realidade que nos cerca, propondo a felicidade como meta, filosofia e política existenciais, porque ancorada nos genuínos ideais de espiritualidade: serviço e devoção ao Sagrado, à Divindade, ao Amor, na pessoa de cada irmão(ã) em humanidade, a começar pela centelha angelical, ínsita no âmago do próprio coração.

Movimento de vanguarda, o ISQ propugna a superação de preconceitos e quaisquer formas de discriminação, o combate a padrões viciosos de castração e culpa, a libertação de neuroses familiares e hipnoses coletivas, para a instauração progressiva do império da própria consciência – a Voz de Deus no imo de toda criatura.

Com a cobertura e orientação supra-humanas de uma plêiade de bondosos(as) e sábios(as) Orientadores(as) Espirituais, a Escola de Sabedoria e Felicidade desenvolve atividades voltadas à educação espiritual, à assistência social e ao desenvolvimento intelecto-moral, com destaque para o Programa de TV Salto Quântico, que tem levado à coletividade, desde 1994, conceitos catalisadores de evolução, tratando de temas complexos com profundidade e didatismo, de forma interativa e atual, e promovendo verdadeiros “saltos” de qualidade e excelência na vida de quantos(as) se lhe fazem receptivos às propostas de autoconhecimento, realização pessoal, plenitude e transcendência.