A Mulher-Sol apareceu deslumbrante, mais uma vez, em Sua Majestade Maternal, para nossa seleta audiência, e disse, em tom mais grave e triste, exalando indefinível melancolia no Olhar, pedindo que difundíssemos esta Mensagem quanto pudéssemos:

“Desejo esclarecer, para a mulher e o homem da atualidade, duas solicitações antigas, que reiterei por mais de um(a) intermediário(a), no correr dos séculos: a oração diária do rosário e a prática de penitências sistemáticas. 

A oração diária do rosário implicava a meditação e mentalização, tão necessárias coletivamente, em torno da Imagem do Feminino Divino, como melhor expliquei as razões de ser, em Minha última Visita.

Quanto à sugestão a Mim atribuída: ‘Fazei penitência, pela conversão dos pecadores’, conforme propalado por outros médiuns que, pobrezinhos(as), não desfrutavam de condições para Me compreender corretamente, por limitações intelectuais ou preconceitos da época em que viviam, houve uma corrupção mais profunda e séria do sentido, e não propriamente uma ocultação de significado. O que Eu pretendia dizer era: ‘Trabalhem pela transmutação, ampliação e melhoria do estágio de consciência em que se encontram, pela disciplina da prática contínua do bem, incluindo a indispensável contraparte interna dos bons sentimentos, para que se possa gerar um efeito, em cascata (de acordo com a quantidade dos que Me atendessem à conclamação), de influência transformadora, psíquica ou por força do exemplo, sobre seres em estágios mais sofríveis de evolução.’

Por favor, disseminem estas Palavras, com o maior número possível de pessoas, do modo mais persuasivo que seja exequível, porquanto sofro deveras, século sobre século, com os padecimentos desnecessários e contraproducentes autoinfligidos, em Meu Nome, por devotos(as) de Minha Pessoa. Jamais proporia o culto à dor, justamente Eu que solicitei a Jesus providenciasse mais vinho para uma celebração de casamento ¹; tampouco Jesus, que endossou o profeta Oseias, citando-o: ‘Misericórdia quero, e não sacrifício’ ². O Plano do Bem quer a felicidade de todas as criaturas e não sua mortificação. Recordemo-nos, outrossim, do que asseverou o Cristo Verbo da Verdade: ‘Eu vim para que todos tenham Vida, e Vida em abundância’ ³

Que todos os Meus filhos e filhas vivam a felicidade – a felicidade, da única forma que há, para que seja consistente, profunda e definitiva: com paz de consciência, no reto cumprimento dos deveres cristãos de solidariedade constante, em todos os departamentos de suas existências.”

MARIA Santíssima
Intermediação do Espírito Eugênia-Aspásia
Médium: Benjamin Teixeira de Aguiar
6 de outubro de 2013

1) João, 2:3.
2) Mateus, 9:11-13 (Oseias, 6:6).
3) João, 10:10

Como se certificar de que esta Mensagem provém realmente de Maria Santíssima. Clique aqui.