Ser professor(a) é, em muitos sentidos, fazer as vezes de pai ou mãe dos(as) alunos(as), não importando se estes(as) são, em algum ou vários aspectos, mais amadurecidos(as) ou preparados(as) do que seus(suas) educadores(as) – porquanto todos(as) somos, d’algum modo, orientadores(as) ou mestres(as) de alguém.

O magistério nos conclama à responsabilidade de nutrir a alma, de desenvolver o intelecto, de conduzir o espírito dos(as) discípulos(as), no exercício da educação integral do ser e não só da instrução formal do(a) cidadão(ã).

Espírito Eugênia-Aspásia.
Médium: Benjamin Teixeira de Aguiar.
13 de outubro de 2015.