Impregnadas (melhor dizer: carregadas) de conceitos equivocados, como reduzir Maria Santíssima a uma mera intercessora, que “roga” pelos seres humanos ao Deus-Pai ou a Deus-Filho (Ambos Vultos Masculinos, unidos ao Espírito Santo, que, como afirma a tradição católica, é simbolizada numa pomba… macho – é claro! – risos) e que precisa ser lembrada e orientada a ser benevolente, seguindo-se tal estultícia de um mal-disfarçado comando disparado em Sua direção mal-velada: “… e dignai-vos de as ouvir Propícia e de me alcançar o que Vos rogo…” (ou seja: bradando ao Buda-Mãe que faça a gentileza de ter boa-vontade e ouvir com benevolência o pedido… – que acinte, não?) além de dizerem (duas delas), que estamos “gemendo e chorando” – uma: concluindo que estávamos “num vale de lágrimas” e a outra: “sob o peso de meus pecados, me prostro aos Vossos Pés…” as cinco preces recitadas, em Nossa Instituição, a Nossa Mãe Maior, logo abaixo enfileiradas a mais três (a figuras masculinas: Jesus e o Anjo da Guarda, uma delas cantada – a famosíssima “Oração de São Francisco”), ganharam novas versões, com ajustes de texto que procedi sob influência dos Mestres Desencarnados.

A importância das preces recitadas é tamanha que todas as tradições espirituais – do Oriente e do Ocidente; do passado e do presente – aplicam-nas, para efeito de concentração, união de grupos em preces coletivas e de fixação de idéias essenciais a comporem determinado quadro filosófico e teológico de proposições teóricas, como a configurarem certo conjunto de prioridades e diretrizes de conduta e de gerência íntima da própria psique.

Por esta razão, o Colégio dos Anciães Sábios que regem nossa Escola de Pensamento, falando por Sua Intermediária – o Espírito Eugênia, por sua vez líder de toda uma Equipe de Mentores Espirituais – determinaram aplicássemos 15 minutos de utilização do método, antes de todas as atividades públicas da Instituição – desde os programas de TV às reuniões mediúnicas, passando, obviamente, pelas palestras de quartas e sextas-feiras. Para tanto, solicitaram-nos procedesse-se a três preces recitadas consecutivamente, seguidas de uma oração espontânea, proferida por um dos presentes na assembléia oracional, para início de novo ciclo de três orações mântricas, declamadas em conjunto, por sua vez seguida de nova prece espontânea de outro partícipe do culto de orações-meditações. Assim, perfaz-se, sucessivas vezes, o símbolo da quaternidade que, segundo Jung, constitui uma alegoria do Feminino Divino – arquétipo que, na iconografia católica, fez de Maria Santíssima, o Quarto Elemento da Divindade, no disfarce da Plenipotenciária Intercessora que tudo obtém de Seu Filho Divino, após as Três Personalidades Viris da Divindade, enfeixadas na “Santíssima Trindade”. O quatro, por outro lado, também significa realização de um ideal ou concretização do Self, na terminologia junguiana.

Experimente tal metodologia em sua intimidade, sobremaneira se conseguir congregar pelo menos mais uma pessoa à sua disciplina, porque, como disse Nosso Senhor Jesus – o Cristo Verbo Divino – “onde dois ou mais estiverem juntos, em Meu Nome, Eu Me farei Presente” (Mateus, 18:20). Isso obviamente vale para Nossa Mãe Maior – Ela também um Cristo.

Irmão em Cristo,

Jesus e Maria Cristo,

Benjamin Teixeira,

Estância, Sergipe, 1º de julho de 2009.

SALVE, RAINHA!

Salve, Rainha! Mãe de Misericórdia!
Vida, Doçura e Esperança Nossa! Salve!
A Vós clamamos os aprendizes filhos de Eva!
A Vós suspiramos, orando contritos(as), nesta Escola de Bênçãos!
Eia, pois, Senhora, Cristo Mãe da Terra, esses Vossos Olhos misericordiosos a nós volvei!
E, por meio desta existência, aproximai-nos de Jesus, Bendito Cristo da Verdade!
Ó Clemente, ó Piedosa, ó Doce Sábia Mestra Maria!
Enxertai-Vos em nós, Santa Mãe da Humanidade,
Para que nos aproximemos do ideal cristão!
Assim seja!


MÃE NOSSA.

Mãe Nossa, que estais irradiada por toda parte!
Santifiquemos, por atos e de coração, a fé que temos na Senhora!
Realizemos, por escolha pessoal e esforço persistente, a Vossa Vontade – nossa verdadeira felicidade.
Providenciai-nos o que nos for realmente necessário e que não pudermos conquistar por meios próprios.
Concedei-nos a graça do autoperdão e do perdão aos nossos irmãos em humanidade!
E ajudai-nos a aprender e a nos fortalecer com as tentações, afastando-nos das quedas no mal!
Assim seja!

AVE MARIA

Ave, Maria! Que se encheu de Graça! Por isso, Deus é convosco!
Bendita sois Vós – maior Cristo da Terra!
Bendito também o Cristo Verbo: Jesus!
Santa Maria, Espelho de Deus-Mãe,
Enxertai-Vos em nós, seres falíveis,
Para que se acelere nossa evolução!
Assim seja!

CONSAGRAÇÃO a NOSSA SENHORA:

Ó Senhora Minha,
Ó Minha Mãe,
Eu me ofereço de todo a Vós,
E em prova da minha devoção para Convosco,
Vos consagro, para sempre, neste dia:
Os meus olhos,
Os meus ouvidos,
A minha boca,
O meu coração,
Enfim, todo o meu ser.
E, porque assim sou Vosso(a), ó incomparável Mãe,
Guardai-me e protegei-me, como propriedade Vossa!
Assim seja!

LEMBRO-ME.

Lembro-me, ó Piedosíssima Santa Maria,
De que nunca se ouviu dizer
Que algum daqueles que a Vós tivesse recorrido,
Implorado a Vossa Assistência,
Reclamado o Vosso Socorro,
Fosse por Vós abandonado.
Animado, pois, eu, de igual confiança,
A Vós, Santa de todo singular,
Qual a uma Mãe recorro e de Vós me valho.
Orando contrito(a), nesta Escola de Bênçãos, me prostro aos Vossos Pés!…
E auxiliai-me a ter merecimento, por escolhas e ações no Bem,
E também a perceber o que realmente preciso e pedir o que me é, de fato, melhor…
Assim seja!

PAI NOSSO.

Pai Nosso, que estais irradiado por toda parte!
Santifiquemos, por atos e de coração, a fé que temos no Senhor!
Realizemos, por escolha pessoal e esforço persistente, a Vossa Vontade – nossa verdadeira felicidade.
Providenciai-nos o que nos for realmente necessário e que não pudermos conquistar por meios próprios.
Concedei-nos a graça do autoperdão e do perdão aos nossos irmãos em humanidade!
E ajudai-nos a aprender e a nos fortalecer com as tentações, afastando-nos das quedas no mal!
Assim seja!

ANJO DA GUARDA.

Santo Anjo do Senhor,
Meu zeloso guardador,
Se a Ti me confiou
A Piedade Divina,
Sempre me rege,
Me guarda,
Me governa,
Me ilumina,
Assim seja!

ORAÇÃO de SÃO FRANCISCO.

Senhor, fazei-me Instrumento de Vossa paz,
Onde houver ódio, que eu leve o amor,
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão,
Onde houver discórdia, que eu leve a união,
Onde houver dúvida, que eu leve a fé,
Onde houver erro, que eu leve a verdade,
Onde houver desespero, que eu leve a esperança,
Onde houver tristeza, que eu leve alegria,
Onde houver trevas, que eu leve a luz!…
Ó, Mestre, fazei que eu procure mais…
Consolar, que ser consolado(a)…
Compreender, que ser compreendido(a)…
Amar, que ser amado(a)…
Pois é  dando, que se recebe…
É perdoando, que se é perdoado…
E é  morrendo, que se vive para a vida eterna…

Atenção:

Logo abaixo, há um arquivo disponibilizando um vídeo histórico de 1994 de nosso programa de televisão.

Nos próximos dias, estaremos trazendo a lume artigos (psicografados ou inspirados), além de vídeos históricos da Instituição.

Não sabemos por quanto tempo isso se dará, mas é garantida, no mínimo, a publicação de um arquivo, por dia, neste nosso sítio eletrônico da internet, seja ele em vídeo, apenas áudio ou tão-só texto escrito.

Benjamin Teixeira

Estância, Sergipe, 1º de julho de 2009.