Benjamin Teixeira
pelo espírito Eugênia.

Caros confrades, caras confreiras:

É com muito júbilo que tomamos, dentro do possível, do recurso da fala psicofônica, ainda que não propriamente fazendo uma incorporação – como sói acontecer nessas mini-preleções, ao fim de nossas palestras públicas –, para apresentar e expender algumas idéias ligeiras, a respeito da necessidade de transformação em nossas vidas.

No que diz respeito às idéias que já sabemos essenciais para nosso crescimento espiritual, o percentual de sua aplicação costuma ser mínimo – e um mínimo sofrível, abaixo do razoável. Para chegarmos ao nível de consciência em paz, pelo grau razoável de aplicação desses conceitos (o suficiente para nos sentirmos responsáveis em relação a eles), seria de bom alvitre que nos esforçássemos por sair da inércia, do comodismo.

Sabemos que, n’outras ocasiões, já os estimulamos nesse sentido. Entrementes, é importante reiterarmos tal exortação, em vista de, amiúde, sermos levados à conta, nestas afirmações, de, basicamente, poéticos, filosóficos ou abstratos demais. Estamos, de reversa maneira, repetindo inúmeras vezes esta assertiva, por se tratar de um assunto indiscutivelmente inadiável, irretorquivelmente necessário.

Para garantir a qualidade de tal materialização de princípios na vida prática, pediríamos aos prezados amigos a consideração de uma disciplina-metodologia igualmente imprescindível: a de monitorarem-se os esforços de concretização dos próprios ideais precípuos, para que se potencializem os ganhos, neste processo, corrigindo-se eventuais erros, que, obviamente, haverá.

Lembremo-nos do que disse Nosso Senhor Jesus: “Buscai, primeiramente, o Reino dos Céus e a Sua justiça, e o demais se vos acrescentará”, implicando considerar que devemos priorizar as questões capitais do espírito; colocar, em plano primeiro, em nossa rotina, nas disciplinas que estabelecemos na agenda semanal, os critérios, as iniciativas, os empreendimentos correlacionados a tudo que diga respeito à vocação, ao ideal, ao amor, à nossa religiosidade, à nossa espiritualidade, aos nossos trabalhos voluntários – em suma: a tudo que indique espírito de fraternidade, realização da própria alma e propósito de vida, serviço ao bem comum, sem intenção de retribuição.

Façamos desse empreendimento capital uma sistemática impreterível, a fim de que possamos, dentro do exeqüível, estar a caminho da felicidade e da paz, para hoje ainda, e não para depois da morte ou para uma próxima reencarnação.

(Mensagem recebida psicofonicamente, pelo médium Benjamin Teixeira, no dia 29 de outubro de 2006, ao final da palestra pública de domingos, que acontece às 19h30min, no Espaço Emes, Aracaju, Sergipe. Revisão de Delano Mothé.)


O Maior Entretenimento “Cult” da Cidade.

Nas concorridíssimas palestras de Benjamin Teixeira, proferidas todo domingo, Jácome Goes faz a prece inicial. Enriquecendo a noite, há ilustrações com trechos de filmes e a espetacular fluência e cultura de Benjamin, coroada com a fala de sabedoria ímpar da bondosa Eugênia, o guia espiritual do Salto Quântico, pela mediunidade do próprio conferencista. Para completar, antes dos passes individuais, ocorre a deliciosa e libertadora ‘Entrega a Maria’, conduzida pelo nosso líder. Por fim, a proteção e orientação da Espiritualidade Superior para todos que se habituam a comparecer ao evento. O que você pode estar fazendo de mais interessante que tudo isto junto, no domingo, às 19h30min? Este, que é o maior entretenimento “cult” da cidade, tem entrada franca e acontece no Espaço Emes.

Delano Mothé, Diretor do Departamento de Divulgação e Edição do Salto Quântico.

Fonte: http://www.saltoquantico.com.br