Benjamin Teixeira
pelo espírito
Gustavo Henrique.

(Jesus pregava a Verdade, e os fariseus e saduceus – homens religiosos e moralistas de Seu tempo – acusaram-n’O de ter pacto com Satanás, tramando, por Suas Costas, Sua morte na cruz – sendo pelo Cristo alcunhados de “hipócritas” e condenados por “uma blasfêmia sem perdão”. Marcos, capítulo 3.)

Olham-te de través.

Querem, talvez, sacerdotes, religiosos ou representantes de Deus como santarrões, simulacros de virtude, fala mansa, construída no escrínio da hipocrisia, pregação de castidade e celibato, enquanto confiam-se a libações inconfessáveis, à socapa. Tu, porém, és sincero quanto à tua sexualidade, e encaram-te com suspeita, supondo-te incoerente com teus postulados cristãos. Incoerência a honestidade? Logo para ser cristão, quando Jesus condenava, tão dramática e claramente, a hipocrisia dos religiosos que viviam da aparência de santidade?

O que há  de errado na prática educada e assumida da própria sexualidade? Há  algo de diferente a alimentar-se, dormir ou vestir-se? A Bíblia condenou Homossexuais? Mas condenou também mulheres a não falar nas igrejas e os não-judeus, como inimigos de Iavé, Deus-Pai. Logo, por este trecho das Sagradas Escrituras, todos que não somos judeus deveríamos nos considerar condenados inapeláveis, diante do Criador, e cometer suicídio em massa? Claro que não. E a resposta está em que o texto bíblico, para ser respeitado em Sua Origem Divina, tem que ser devidamente interpretado, e, no caso de teus detratores, está sendo lido de forma equivocada, porque literal, e não metafórica. Somente crianças ou doentes mentais não compreendem metáforas. A alternativa para estes teus acusadores não serem infantis ou doentes mentais é estarem agindo de má-fé, serem desonestos e estarem adulterando a Palavra de Deus para protegerem seus interesses pessoais e atacarem seus rivais.

Desejariam, talvez, ver-te como os que se aplicam à atividade espiritual apenas nas horas vagas, de lazer e repouso ou após a aposentadoria, porque, no caso deles, durante a melhor parte de seus dias e na maior parte dos dias da semana, quanto os melhores anos de sua vida, estão ocupados e preocupados em se dedicar a suas carreiras, constituição de patrimônio e aquisição de títulos acadêmicos. Tu, todavia, pões a vida religiosa acima de todas as prioridades, e aplicas quase a totalidade das horas de teus dias, desde a juventude primeira, para isso cobrando um estipêndio justo tão-só no intuito de viveres confortavelmente, e te ocupares apenas do que importa – a obra Divina que te foi confiada – em caráter integral; e, no entanto, observam-te como se fosses um aproveitador… Por estares priorizando a ação para Deus e, por viveres a todo tempo para esta atividade da Luz, e, por isso, cobrares o justo para viver esta vocação-devoção? Teriam esquecido ou, quem sabe, desconheceriam que o Cristo Quem lecionou a Seus discípulos que, na pregação do Evangelho, o trabalhador é digno de seu salário?

Aguardam provavelmente o profeta, que se sinta com autoridade moral bastante para falar em nome de Deus, pessoalmente, do alto de um apostolado autoproclamado ou definido na hirarquia de religiosos humanos, sem máculas ou dúvidas. E contemplam-te com carantonhas, alcunhando-te de charlatão, porque te vales de uma sensibilidade mais aguçada para te calares e colocar teu cérebro e tua boca, teus braços e teu tempo a serviço de seres mais avançados que tu, no carreiro evolucional, fora da dimensão material de vida – os Anjos como eles denominam –, que melhor desdobrem as atividades que sabes farias em menor nível de qualidade. Embusteiro por te fazeres canal da Luz, renunciando ao mérito ou ao crédito pelos esforços pessoais tão ingentes em tarefa tão ingrata, atribuindo-a a terceiros, ainda que mais elevados que tu?

Dizem-te depravado, esquecidos de que eles mesmos assim seriam taxados, em outra época da civilização, e que aqueles que agiram como eles, no passado – digamos: vivendo o sexo sem culpa ou tratando mulheres e negros como iguais a homens brancos – foram, naqueles dias sombrios de antanho, igualmente taxados de degenerados e irresponsáveis por pessoas que agiam como eles: acusadoras furibundas. A limitação deles não permite que enxerguem que, para os dias de hoje, necessariamente os que seguem à frente, como carros-chefe da evolução planetária, terão que estar sendo vistos como “marginais” pela maioria de agora, ou não teriam a função de renovar o sistema cultural.

Deixemos, portanto, prezado amigo, que se confiem à sina do carma que acumulam sobre suas cabeças, como nuvens escuras de desgraças, que já começam a chuviscar… das conseqüências espirituais, já nesta vida (e na outra, só Deus o sabe), entregando-os ao Senhor e Sua Implacável Justiça, para os que são duros com seus irmãos em humanidade (“Com a medida com que medirdes, sereis medidos” – falou também Jesus).

Recordemos do Cristo nestas reflexões – Ele mesmo o exemplo máximo do Enviado do Alto Incompreendido – que disse que aqueles que acusassem alguém de inspirado por um mau espírito, sendo Este Espírito um Espírito Santo (Marcos, capítulo 3), seriam culpados de um crime-blasfêmia-pecado sem perdão (palavras do Próprio Jesus).

E, de tua parte, segue, em paz, realizando o bem, pregando a oração, a prática do amor, a extensão da solidariedade, da fraternidade e do esclarecimento, quanto esteja em teu alcance, porque a prática do bem, continuamente, já fala o bastante de ti e por ti, no Reino dos Céus e até para os que, na Terra, “têm olhos de ver e ouvidos de ouvir”, como também asseverou o Cristo: “Conhece-se a árvore pelos Frutos”.

Enquanto isso, deixa que eles amarguem os resultados sinistros de sua conduta maléfica, que começam a surgir, em vários setores de suas vidas, aqui, ali, cada vez mais freqüente e profundamente quanto mais te atacarem e te prejudicarem pelas costas, sem entenderem de onde vem a causa dos problemas que aparecem nos caminhos deles, “como que do nada”. Por uma razão simples: se ages para Deus e eles estão contra ti… estão contra o Próprio Criador… E ai daqueles que se põem contra a Vontade de Deus… ainda que sejam se sintam religiosas ou mesmo sejam, na Terra, apresentados como autoridades religiosas – porque foram estas mesmas criaturas que mais perseguiram o Cristo e Seus seguidores no pretérito, e ainda em dias que correm… assim como foram as que mais mereceram do Senhor as mais severas condenações…

(Texto recebido em 1º de agosto de 2009.)

(Jesus, defensor das minorias e dos perseguidos, protege de ser apedrejada a mulher adúltera, proclamando a famosa provocação: “Quem estiver sem pecado, atire a primeira pedra”. Curiosamente, eram os religiosos quem mais incitavam a turba contra a “pecadora”.)


ESTUDANDO A MEDIUNIDADE DE CHICO XAVIER.


(Chico Xavier e seu Mestre Espiritual Emmanuel.)

O médium Benjamin Teixeira, acostumado a incorporar, publicamente, o Espírito Eugênia – a “professora do Plano Sublime”, como Ela mesma prefere se apresentar –, que se manifesta por intermédio do sergipano, que trabalha há 21 anos com a sábia Entidade, oferecendo, diante de centenas de pessoas, todas as semanas, em transe, inequívocas provas da realidade do fenômeno (apresentando dados sobre pessoas presentes que ele desconhece), desdobrará interessantíssimo estudo, na parte que lhe cabe (os primeiros 45 minutos da reunião domingueira do SQ, pois que os 45 minutos finais são utilizados pela própria Eugênia, palestrando nele “incorporada”), a episódios de “incorporação do Espírito Emmanuel” realizadas por Chico Xavier – “o mais famoso, respeitado e estudado médium de todos os tempos, em terras brasileiras” – analisando os registros de um programa transmitido, em rede nacional de televisão, em 1971, a partir da extinta TV Tupi. O guru das elites cultas da cidade usará alguns trechos da gravação em preto e branco que remanesceu da época, indicando, minuciosamente, “apesar da sutileza com que Chico revestia o fenômeno, conferindo-lhe extrema naturalidade” (palavras de Benjamin novamente), quando Chico via, ouvia, lia o que seu grande mestre desencarnado Emmanuel pretendia que ele falasse, além de discriminar os instantes em que de fato incorporava Aquele que foi Padre Manuel da Nóbrega, o fundador da cidade de São Paulo. Admirador empolgado de Chico Xavier, há anos Benjamin eletriza multidões ao amor ao, como diz: “grande mártir do cristianismo primordial, que esteve entre nós, reencarnado, no século transato”. Neste domingo, 2 de agosto, às 20h, Sociedade Semear, Rua Vila Cristina, 148. Informações: 3041-4405.

Equipe Salto Quântico.

Avisos:

Nossa Redação intermundos suspenderá atividades uma vez por semana, qual ocorre aos periódicos do Plano Físico de Vida. O dia escolhido para isso foi a segunda-feira, que muitos dos internautas costumam reservar para ler o que foi publicado no fim de semana, tanto quanto para dar tempo, aos que se atrasam no acompanhar das publicações, atualizarem suas leituras do conteúdo postado em nosso site.
No mesmo dia, entrementes (segundas-feiras), para que os que não sofrerem deste problema de retardo nas leituras, como também desejarem encontrar novo conteúdo, há a publicação semanal de Aline Rangel, nossa cara psicóloga “oficial” do grupo, com seu artigo postado no Blog da organização, facilmente acessável, clicando-se em ícone da interface deste site, no canto inferior da coluna esquerda.
Nesta segunda-feira, 3 de agosto, porém, como não houve lançamento de postagem nova, no sábado 1º de agosto, teremos arquivo inédito trazido a lume.
Os grupos de estudo (com entrada franca) retornaram para as sextas-feiras, às 20h, sob a batuta também de Aline.
Em breve, será lançado o grupo de estudos para adolescentes e jovens, dirigido por Fábio Aragão, nos últimos preparativos para ser encetado.

Muita paz e felicidade para todos,
Fazendo votos de progresso moral e realização no bem a todos,
Servidor em Nosso Senhor Jesus,
Pe. Gustavo Henrique (psicografia de Benjamin Teixeira).
Aracaju, 2 de agosto de 2009.

Ajude a santa e sábia mestra espiritual Eugênia a disseminar Suas ideias de sabedoria e amor, e, com isso, tornar o nosso mundo mais feliz e pacífico. Basta que encaminhe este arquivo a sua rede de e-mails. Para isso, utilize a ferramenta logo abaixo, com os dizeres: “Envie esta mensagem para seus amigos”.