Instruções para realizar o download

Áudio (MP3)

Temas destacados:

– Sincronicidades, autossabotagem e disciplina. Provocação de Glauber Godói, Ph.D. em Engenharia de Materiais.
– A avançada tecnologia da aerodinâmica dos aviões.
– Há pouco mais de um século, sumidades do meio científico consideravam impossível algo mais pesado que o ar voar.
– Santos Dummont e os irmãos Wright. O primeiro avião.
– A rivalidade entre a França e os EUA.
– As realizações internas do ser humano são mais complexas que as exteriores.
– Alcoólatras, segundo a OMS.
– Carl G. Jung: “Eu não vivi minha vida, minha vida me viveu.”
– O pouco controle sobre a própria vida e o esforço que devemos aplicar em nossa melhoria íntima.
– Receptividade à luz e esperança, em meio às crises existenciais.
– A limitação intelecto-espiritual dos que não acreditam no invisível-abstrato, mas apenas no que parece concreto.
– Pais estabelecerem regras essenciais para o convívio doméstico saudável nada tem a ver com castrar a liberdade de escolha dos filhos.
– A maioria das famílias é disfuncional. A “ovelha negra” normalmente é o elemento mais lúcido e são do lar.
– Questão de perspectiva: na Alemanha nazista, eram considerados “loucos” os que discordavam do regime genocida, apoiado pela maioria do povo alemão da época.
– As relações interpessoais duradouras e as provisórias. Ambas as partes envolvidas devem investir sempre na longevidade do relacionamento.
– O sadomasoquismo psicológico, comum nas relações humanas. Desrespeitos e perversidades cotidianas.
– Experiência pessoal de Benjamin na infância: a descoberta de sua sexualidade.
– A questão da percepção.
– O respeito à própria natureza.
– A margem limitada de manobra de nosso livre-arbítrio.
– Embora singulares, todos somos substituíveis, em nossas missões pessoais. O débito cármico relacionado à fuga ao serviço que devemos prestar.
– As várias camadas de “máscaras” de personalidade e o processo de autodescoberta.
– A autossabotagem e as decisões inconscientes.
– O “pegar-se pela gola”, no âmbito fundamental das disciplinas espirituais. Vamos às instituições de ensino ou ao ambiente profissional apenas quando estamos com vontade? E por que o trabalho espiritual seria diferente?
– As razões que encontramos para não orar são justamente as que nos deveriam motivar mais empenho na oração.
– O ideal proposto pelos Mestres espirituais do ISQ: 15 minutos diários de oração, sem interrupções.
– A estupidez de julgar-se inteligente por tirar boas notas, sem precisar estudar.
– O exercício de se colocar como “testemunha invisível”. Devemos reconhecer nossas emoções e sentimentos, em vez de rejeitá-los ou negá-los.
– A inveja e as redes sociais.
– O efeito terapêutico positivo de assistir a filmes românticos, policiais, dramáticos, conforme perfis psicológicos específicos.
– Certos pensamentos ou padrões de sintonia podem funcionar como “bruxaria” e “magia negra”.