Nota de Benjamin Teixeira, redigida na madrugada de 15 de janeiro de 2001, como introdução da mensagem “Falando Francamente”: 

Roberto é uma entidade do plano espiritual com quem travo contato freqüente, desde 20 de setembro de 1993, dia em que se apresentou a mim, e em que entabulamos uma longa conversa, de meados da noite até 1h30 da madrugada de 21 de setembro.

Enfermeiro de formação, está sempre presente em reuniões mediúnicas de que participo, e amiúde surge à minha psicovidência, em situações corriqueiras, fazendo alusões a problemas orgânicos (que desconheço) das pessoas com quem convivo (o que é confirmado pelas próprias), sugerindo-lhes cuidados e mesmo fazendo, mais raramente, alguns diagnósticos que só mais tarde vêm a ser corroborados por exames médicos.

De origem germânica, aparece como um exemplar digno do tipo ariano, de olhos castanhos e traços muito finos. Aparenta não passar dos mesmos quase trinta anos, há mais de sete anos. O linguajar, o tom sempre hilário e, sobremaneira, irônico, com especial sagacidade para assuntos do dia-a-dia, fazem-no muito mais próximo de nós, encarnados, e de nossas aflições, do que Eugênia, em sua sublimidade quase transcendente.

É de uma objetividade quase ríspida e irratadiça, se assim posso dizer, com aquele tipo de impaciência lógica bem comum aos homens inteligentes da Terra de hoje. Tem dificuldade de tolerar a estupidez e incoerência alheias. É de uma franqueza sem meandros e, em muitos momentos, francamente agressiva. Pode abalar os estômagos pouco afeitos à verdade, à realidade nua e crua, sem os vernizes que lhe apomos, para facilitar-lhe a digestão, por nossas mentes muitas vezes preguiçosas e nossos corações tantas outras viciado na acomodação.

Em suma: um ser muito humano. Por detrás, porém, da aparência rude e comum, Roberto oculta um coração de ouro e uma aptidão especialmente brilhante para comunicar assuntos complexos de forma simples e didática. É um sábio, ao seu modo, e bem acessível.

Com vibração próxima à nossa, do plano físico, é a ele que recorro, em situações que exijam opinião da Espiritualidade, quando não estou com o sinal mediúnico numa freqüência suficientemente alta para acessar a faixa da adorável e sapientíssima Eugênia. Nesses momentos, ele a representa. Discípulo da grande mentora, parece aplicado e perspicaz em lhe seguir a Escola de Pensamento. Amigo e irmão meu de outras vidas, tem sido o mesmo, para mim, nesta atual existência física, a despeito do abismo vibracional que nos separa.

Presumo que sua maneira livre e quase chã de expressão poderá surpreender alguns leitores mais rigorosos do nosso site. Peço desculpas por ele, já que a responsabilidade pelo que é dito, escrito e publicado nas comunicações mediúnicas é do próprio medianeiro. Deixei-o, porém, manifestar-se em toda sua clareza quase brutal, por sentir ser ela particularmente eficaz em atingir o coração de determinados psicotipos de nossa humanidade atual, principalmente presentes entre as mentes masculinas. A surpresa, porém, que poderia chocar, creio eu, deverá muito mais provavelmente provocar risos e uma deliciosa anuência com os raciocínios expendidos por Roberto. E, mais que uma mera aquiescência, também simpatia, com seu jeito peculiar de aversão a toda forma excessivamente polida e hipócrita de falar de bem e de verdade.

Em outras poucas ocasiões, publiquei textos de co-autoria desse amigo querido do outro plano de Vida. Todavia, mantive-o mais alinhado, mais dentro dos trâmites de meus filtros mediúnicos. Desta feita, entrementes, permiti que ele transparecesse mais “in natura”. Acredito que, com isso, o prezado leitor e a querida leitora serão cativados pela sagacidade bem-humorada de Roberto, que, nos últimos anos, tem-me feito rir muitas vezes, até mesmo em público, com comentários chistosos e sempre prenhes de lições interessantes e enriquecedoras.

Com você, prezado visitante do site Salto Quântico, para seu deleite, Roberto.

 

Nota de Benjamin Teixeira, redigida em 11 de agosto de 2001, como intróito à mensagem “De Homem p’ra Homem”.


Roberto é um espírito que tem primado pela linguagem direta e extremamente coloquial. Sem ter grande evolução, é, porém, representante da Luz, como porta-voz de Eugênia, para os que têm dificuldade de entendê-la. Poderá chocar os leitores mais pudicos, bem como os mais puristas do idioma, que ainda não o conhecem, mas cremos que atinge com eficiência o coração e a mente daqueles que são mais refratários aos argumentos de natureza espiritual. Fazendo-se psicológico e didático, fala, com empatia, a linguagem de quem precisa ouvir ou ler o que tem a dizer, costumando normalmente se dirigir a homens de expressão moral de ordem duvidosa. 



Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: