Espírito Eugênia-Aspásia

10 de julho de 2019
 

Chorando diante do abismo

É comum que as criaturas humanas se lamentem exatamente daquilo que mais as beneficia.

Defeitos, pavores, decepções, ataques, injustiças (aparentes ou reais) constituem, via de regra, abençoadas escoras da Divina Misericórdia, para a edificação do Reino de Deus, por dentro do(a) devoto(a) sincero(a).

É na adversidade que o indivíduo molda a maturidade psicológica e tem oportunidade de descobrir informações importantes sobre si mesmo (ocultadas por excessiva soberba ou ignorância) e de desdobrar aptidões interiores e talentos externos que não conheceria doutro modo.

Preste atenção, amigo(a)! Não se confie aos dramas infantis e perigosos do complexo de vítima. Quando a dor ou a dificuldade se fazem mais intensas, é provável que você esteja recebendo especial atenção do Céu, por urgência evolutiva que se descortinou em seus caminhos.

Em vez de ouvir seu ego inflado gritando ou o bebê do narcisismo choramingando, dentro de si (ainda que com argumentos elaborados de pseudoadultidade), apure os ouvidos da alma e escute o que sua consciência lhe aponta como dever a cumprir.

Abismos quase sempre indicam, com clareza singular, aos seres humanos, as rotas de desastres que podem ser evitados e, concomitantemente, as veredas para a realização profunda que devem ser palmilhadas.

Eugênia-Aspásia, repercutindo uma Voz do Plano Sublime (Espíritos)
Benjamin Teixeira de Aguiar (médium)
10 de julho de 2019




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: