Banners de sabedoria

29 de junho de 2019
 

A chocante ira sagrada de São Pedro, o primeiro Embaixador de Jesus, decretando a morte imediata de duas pessoass

No dia reservado, em nossa tradição cristã, à celebração do Apóstolo Pedro, fomos orientados a registrar um destaque sobre Sua impressionante missão, Representante autêntico que era do Cristo Verbo da Verdade.

Nas anotações de Lucas Evangelista, em seu livro componente do Novo Testamento da Bíblia, “Atos dos Apóstolos”, um tomo imediato à conclusão dos quatro Evangelhos canônicos, encontramos a “estranha” (para a atualidade) narrativa do episódio em que um casal se acumplicia em “ajustar” informações, a respeito de donativos à Comunidade cristã original.

Mais ainda “bizarra” (para nossa cultura de santarrões de fala adocicada, nos meios religiosos, de um modo geral – com exceções, é claro –, prenhes de hipocrisia e pactos com as convenções e conveniências humanas), temos a atitude “tempestuosa” e “radical” do Apóstolo Pedro, definido pelo Próprio Jesus como Seu Embaixador direto, decretando, de público, a perda do direito à vida física de duas pessoas.

Nos dias que correm, de tanto sentimento de cinismo e deboche com relação às Coisas Sagradas, e de ilusão de impunidade e desdém com o Que diz respeito às Forças do Céu, a reflexão sugerida pelo Plano Sublime de Consciência, de fato, parece bem oportuna.

Um lembrete muito importante: o Poder Celeste não é outorgado conforme hierarquias ou tradições do mundo material, ainda que revestidas de títulos nobiliárquicos, por esta ou aquela instituição.

Os(as) legítimos(as) Embaixadores(as) das Alturas são, todavia, reconhecíveis por sinais inequívocos.

Como nos lecionou Nosso Mestre e Senhor Jesus: “quem tiver olhos de ver e ouvidos de ouvir, que veja, que ouça”.

Restringimo-nos, a partir de agora, a transcrever o registro de São Lucas, deixando ao alvedrio do(a) caro(a) leitor(a) as interpretações que julgue apropriadas do excerto que se segue das Sagradas Escrituras:

(Atos dos Apóstolos, capítulo 5, versículos 1 a 11:)

Um certo homem chamado Ananias, de comum acordo com sua mulher Safira, vendeu um campo e, combinando com ela, reteve uma parte da quantia da venda. Levando apenas a outra parte, depositou-a aos pés dos apóstolos.
Pedro, porém, disse: “Ananias, por que tomou conta Satanás do teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo e enganasses acerca do valor do campo?
Acaso não o podias conservar sem vendê-lo? E, depois de vendido, não podias livremente dispor dessa quantia? Por que imaginaste isso em teu coração? Não foi aos homens que mentiste, mas a Deus”.
Ao ouvir estas palavras, Ananias caiu morto. Apoderou-se grande terror de todos os que o ouviram.
Uns moços retiraram-no dali, levaram-no para fora e o enterraram.
Depois de umas três horas, entrou também sua mulher, nada sabendo do ocorrido.
Pedro perguntou-lhe: “Dize-me, mulher, foi por tanto que vendestes o vosso campo?”. Respondeu ela: “Sim, por esse preço”.
Replicou Pedro: “Por que combinastes para pôr à prova o Espírito do Senhor? Estão ali, à porta, os pés daqueles que sepultaram teu marido. Hão de levar-te também a ti”.
Imediatamente caiu aos seus pés e expirou. En­trando aqueles moços, acharam-na morta. Levaram-na para fora e a enterraram junto do seu marido.
Sobreveio grande pavor a toda a comunidade e a todos os que ouviram falar desse acontecimento.

Gustavo Henrique (Espírito)
Benjamin Teixeira de Aguiar (médium)
29 de junho de 2019




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: