A “Blonde Venus” sergipana Thaïs Bezerra

24 de abril de 2019
 

Benjamin e colaboradores preparam material para o grande fórum que acontecerá em julho na ONU e uma magnífica fala sobre a Páscoa

Thaïs Bezerra

Por estes dias, meu guru e irmão espiritual Benjamin Teixeira de Aguiar, juntamente a colaboradores mais próximos, trabalham, com esmero, no material que enviarão à ONU, “à guisa de sugestões de discussão e propostas de ação” para o grande fórum que acontecerá em julho, na sede mundial das Nações Unidas, em Nova York. Disse o orientador espiritual com 5,3 milhões de seguidores nas redes sociais: “É um evento ainda mais importante que o de que participamos no mês passado, envolvendo delegações de todos os países signatários da maior e mais influente Organização internacional da Terra. Constitui especialíssima honra e preciosíssima oportunidade poder cooperar, desde cedo, enviando nossas proposições de melhoria das condições humanas em nosso planeta, como presidente do Instituto Salto Quântico, que é um órgão consultivo, com status especial, do Conselho Econômico e Social da ONU, ainda mais em considerando o tema do fórum: ‘capacitar pessoas e garantir a inclusão e a igualdade’.” As organizações do porte do ISQ poderão enviar seus documentos até o fim deste mês. Na foto, Benjamin ladeado de Wagner de Aguiar, seu esposo (à esquerda), e de Delano Mothé, respectivamente diretor do departamento de produções audiovisuais e diretor vice-presidente da Instituição que Benjamin fundou com seu Guia Espiritual, Eugênia-Aspásia.

Na imagem, o belíssimo casal Carolina Teixeira e Amadeu Suriani, dirigentes do recém-fundado núcleo do Instituto Salto Quântico em SP. Sobre o período da Páscoa, escreveu o fundador-presidente do ISQ, Benjamin Teixeira de Aguiar, meu irmão desta e de outras vidas: “De relevante importância que assimilemos, quanto possível, a amplitude dos símbolos implicados nas ‘celebrações’ da ‘Semana Santa’, para todos(as) nós que nos dizemos cristãos(ãs). Jesus sofreu tremendo martírio durante pouco mais de 16h (no máximo, 20h), do final da noite da quinta-feira da ‘Última Ceia’ até as 15h da ‘Sexta-feira da Paixão’. Esteve numa espécie de mística e sublime incubação, no ‘Sábado de Aleluia’. Todavia, já nas primeiras horas do ‘Domingo de Páscoa’, ressurgiu glorioso, no fenômeno da ‘Ressurreição’ – não importando como interpretemos esse evento prodigioso. Poucas horas de sofrimento intenso seguidas de uma Iluminação Eterna. Com isso, somos convidados(as) a pôr em segundo plano a imagem-conceito de um Cristo cadaverizado na cruz – uma fixação que bem revela como anda nossa relação com Deus e Seus(Suas) Representantes, com nossa própria espiritualidade, na Terra desta tormentosa contemporaneidade –, a fim de, embora reconhecendo os aspectos sombrios da existência, focarmos o Jesus Ressurrecto, a vitória do Bem sobre o mal, da Luz sobre as trevas.”

Notas publicadas pela jornalista e colunista Thaïs Bezerra, em sua revista semanal no Jornal da Cidade, edições de 14 e 21/04/2019, respectivamente.




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: