Espírito Eugênia-Aspásia

15 de março de 2017
 

Depois de tanto tempo…

Já contas décadas a fio, na presente reencarnação, de labor sistemático, na seara da disseminação do conforto e do esclarecimento, em largas medidas…

Ofereces o máximo de ti mesma, vivendo nas raias da exaustão e do colapso orgânico, ano sobre ano, e, inúmeras vezes, de incontáveis maneiras, te desculpaste por não poderes fazer mais e com melhor qualidade o que é tão raro de encontrar na Terra, declarando-te abaixo da função a que foste guindada por Desígnio Divino…

E, quando mais terias razões para deplorar e protestar, decides, de coração aberto, na confiança fraterna com que te entregas a teus Mestres e a teu Ideal, novamente te humilhares, assumindo para ti, em lágrimas, erros ou meras limitações na Obra a que te devotas, que muito mais são devidos a faltas e desvios de outras pessoas… Eis que então notas, aturdida, olhares suspeitosos e arredios, conjecturando surpreender em teu ato de exercício cristão de humildade inconfessáveis torpezas…

Depois de tanto que fizeste por tantos, se o fel da amargura e do ressentimento, quando não da hostilidade e injustiça gratuitas, continua sendo a resposta cotidiana às tuas mais puras expressões de amor e alegria no trabalho pela felicidade alheia, podes, de fato, passar adiante a dádiva do teu coração, beneficiando criaturas mais afetuosas e psicologicamente mais sãs, noutras plagas, doutros modos…

Entrementes, tocam-te as exceções, sensibiliza-te a minoria devotada e sincera que colabora com o melhor ao próprio alcance, em vários sentidos, em prol do desenvolvimento do Projeto de iluminação coletiva que encabeças, no domínio material de existência. E, por esses poucos corações de boa vontade, optas por ficar e persistir.

Se te determinas pela escolha mais heroica de permanecer no atual posto de serviço em que te encontras, em vez de te desligares de relacionamentos, ambientes ou funções espinhosos, estarás acertando galhardamente, desde que seja esta uma evocação de tua consciência, e não o resultado de um apego imaturo ou do receio de críticas e consequências materiais ou sociais menos afortunadas.

Tranquiliza tua alma dorida, ao preferires o serviço contínuo, em vez da paralisação do bem a fazer, sem te deixares seduzir pelo mesquinho e infantil sentimento de vítima… És vista por Autoridades Espirituais de Planos mais Altos de Vida!… E, se Elas julgarem que certos limites do moralmente tolerável contra ti foram extrapolados, teu descanso, finalmente, pode estar mais próximo do que imaginas, talvez te achando na iminência de voltares para junto dos teus iguais, de Cá muito melhor podendo trabalhar pela cura dos que ficarem na retaguarda…

Aguarda e confia incondicionalmente na Infinita Bondade de Deus, irmã amada, e prossegue agradecendo e perdoando, ensinando e dando de ti o que tens de mais sagrado, sempre… sintonizando, destarte, em meio ao pesadelo da Terra, com o Céu que te observa… vela por ti… e te espera!…

Espíritos Eugênia-Aspásia, Gustavo Henrique e Raphael de Près
Médium: Benjamin Teixeira de Aguiar
Aracaju/SE, 12 de março de 2017

Colabore com a divulgação das Mensagens da Espiritualidade Maior que, em Sua abordagem voltada para as necessidades e aspirações do homem e mulher da atualidade, alcança hoje milhões de pessoas, em mais de 130 países!




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: