Espírito Temístocles

13 de outubro de 2016
 

Gente louca atraindo tragédias para si

Muitas pessoas brincam, na intimidade do lar ou na vida social, de pirraças e maldades da língua ou da inveja: das rasteiras ocultas aos confrontos evidentes, das palavras de ataque e cobranças indébitas ao silêncio de desprezo, no diapasão dos complexos de vítima e de superioridade casados a interpretações maldosas da realidade alheia, sem terem noção (porque é muito difícil assimilar a ideia de estarem agindo de forma tão condenável) das proporções da loucura e eventuais sequências de tragédias em que se introduzem.

Quando esses incompreensíveis vícios de conduta, de desrespeito e desdém, omissão ou covardia, não são de pronto corrigidos e erradicados, em suas causas profundas, padrões cármicos de linhas de eventos desastrosos ou mesmo desgraçados são necessariamente gerados e estruturados, no futuro próximo e distante do indivíduo inconsequente, destino esse que será tão mais fatídico quão maior for a dimensão do valor moral ou espiritual daqueles que lhe são foco da indiferença, da calúnia ou da perseguição… E – blasfêmia das blasfêmias – os seres humanos costumam assim agir perante Aquele(a) a Quem tudo devem, o(a) Próprio(a) Criador(a)!… e também diante de Seus autênticos representantes, desencarnados ou encarnados, amiúde depois de haverem destes recebido benefícios inapreciáveis, por anos sucessivos.

A força do carma, via de regra, dá seus primeiros sinais por efeitos imediatos no cotidiano, por uma natural atração de semelhanças vibratórias. Não é algo que “Anjos de Guarda” ou orientadores encarnados desejem ou esperem ocorrer com quem quer que seja. Trata-se simplesmente de uma Lei de Justiça que permeia e rege o Sistema Inteligente que chamamos de Universo.

Quem se afasta dos sentimentos e atitudes do amor e da misericórdia, da gratidão e da caridade cristã, da decência e da generosidade, ou tão só da amizade e da lealdade, coloca-se automaticamente debaixo da influência das normas implacáveis de retribuição severa da Natureza, que se desdobra facilmente (no microcosmo individual – nesta existência e/ou em reencarnações vindouras) em doenças, falências, demissões, divórcios, dor, morte… e (no macrocosmo planetário) em terremotos, vulcões, tempestades, furacões, guerras, crises econômicas, fome em massa…

E não importa que a pessoa irresponsável, caprichosa ou má acredite que não esteja cometendo injustiça com o próximo, ou creia que não sofrerá revertérios decorrentes de sua postura insana. As consequências de seus atos e omissões virão irrefreavelmente em sua direção, cedo ou tarde… E a rigor começam cedo, nos acontecimentos de sua própria vida e na de seus entes queridos – por exemplo, a perda do direito à dádiva da presença física de certas almas-bênçãos, por afastamento ou óbito, de uma ou de outra parte… Mas normalmente ocorrem tanto no curto como no médio e longo prazos, e piores serão se vierem mais tarde, pelo acúmulo da força do carma… associe ou não os eventos funestos que venha a sofrer, a tal criatura estroina, às injustiças e à ingratidão a que se entregou, em relação aos semelhantes e, sobremaneira, aos Seres a Quem devia reverência, consideração ou, no mínimo, fraternidade.

Espírito Temístocles
Médium: Benjamin Teixeira de Aguiar
20 de dezembro de 2015




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: