A “Blonde Venus” sergipana Thaïs Bezerra

30 de setembro de 2016
 

Projeção da terceira parte do documentário longa-metragem “Fenômeno das Não Mortes”

Thaïs Bezerra

Emoção, risos e aplausos. A projeção da terceira parte do documentário longa-metragem “Fenômeno das Não Mortes”, composta por depoimentos sobre o fundador-presidente do Instituto Salto Quântico, Benjamin Teixeira de Aguiar, na quarta-feira 21, no Cinemark Jardins, foi um sucesso. “A edição de Wagner (de Aguiar) foi tão boa que parecia um único depoimento, embora ficasse óbvia a originalidade de cada participante”, disse-me um dos presentes. Destaque para as falas do linguista e diretor adjunto Delano Mothé, que, ao focar o lado coração de Benjamin, emocionou a muitos. De todos os cantos da maior sala de cinema da capital, ouviam-se risos com as histórias de infância do líder espiritual trazidas por seus pais, Dorinha Teixeira Machado e Benjamin Machado Sobrinho. A conferência completa de Benjamin, em 2015, no evento anual que o ISQ realiza na sede mundial da ONU, em Manhattan, NY, EUA, fechou a noite com chave de ouro. “Aplaudimos por 3 vezes, mas a vontade era de ter aplaudido mais”, disse-me uma figura tarimbada da sociedade sergipana também presente. “A palestra foi a demonstração de todas as referências elogiosas feitas nos depoimentos. Ele deu um show!” Todo domingo tem palestra de Benjamin, às 19h, no Espaço Emes.

Nota publicada pela jornalista e colunista Thaïs Bezerra, em sua revista semanal no Jornal da Cidade, edição de 25/09/2016




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: