Benjamin Teixeira de Aguiar

9 de dezembro de 2014
 

Pseudointeligência.

Alguém diz: “Quero ser aprovado(a) num concurso público, e todos os meus problemas estarão resolvidos. Boa grana, pouco trabalho.”

A pessoa se desgasta durante anos sucessivos, obtém aprovação e… qual a surpresa? Descobre seus principais inimigos reencarnados, todos trabalhando no mesmo lugar, dia após dia, ano sobre ano, até que o pesadelo das interações desafortunadas consumam sua saúde, seu casamento, sua harmonia familiar, sua paz e, sobretudo, a tão almejada felicidade… que nem antes, muito menos depois da aprovação no tal concurso, foi possível alcançar.

Quem se fixa na sintonia de levar vantagem sobre os outros, em vez de cogitar em servir aos semelhantes, cedo ou tarde se dá conta dolorosamente, nessa ou em futura vida, de que só se pode ser feliz pelo coração, e não pelo ego; pela bondade, e não pela ambição desmedida.

Almeje progresso e segurança materiais – não há nada de errado nisso. Mas nunca ponha ganhos pessoais e transitórios acima das conquistas da alma e da descoberta de “seu lugar no mundo”, que significa, em verdade, o que Deus espera de você, o Desígnio do(a) Criador(a) para sua atual existência. Distante da Vontade Divina, você jamais poderá encontrar sossego ou bem-estar duradouros, nesta ou noutras reencarnações.

Benjamin Teixeira de Aguiar e Amigos espirituais.

(Psicografia de 04/09/2014.)




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: