Espírito anônimo

20 de maio de 2011
 

A Ti, Coração d’Ouro, Escondido na Lama do Charco Terreno…

Benjamin de Aguiar,
pelo Espírito de uma “Alma Incógnita”.

Querem um modelo de perfeição para a felicidade, mas não aceitam o paradigma equilibrado que apresentas: o da perfeição, dentro de um contexto de imperfeição, próprio ao estágio evolutivo de cada qual, com respeito às diferenças, com quebra de toda ordem de preconceito e de, portanto, não fraternidade, não cristandade.

É porque não desejam, realmente, um ideal a seguir, mas sim uma muleta em que se escorarem, preguiçosamente; e isso, de fato, não estimulas, lecionando a principal das lições: a da autossuficiência espiritual e do esforço pessoal pelas próprias conquistas de aprendizado e crescimento.

As Causas que foram motivo de escândalo, e que defendeste, em público, há vinte anos, de modo expresso, corajosamente arrostando convenções estabelecidas, começam hoje a ser consolidadas nas leis pátrias, embaraçando aqueles que, até bem pouco tempo, faziam-se adversários encarniçados do teu vanguardismo, que agora é corroborado como em perfeita correspondência com os princípios de evolução destinados ao planeta.

O Céu, generoso ao infinito, parece despencar-Se sobre a Obra a que deste início no plano material de Vida, endossando-te as palavras duras (contra os egos e caprichos humanos e toda espécie de hipocrisia), mas fertilizantes para a semente de Anjo que habita cada criatura consciente. E, assim, prodígios sem precedentes fazem a Assinatura das Grandes Autoridades Angelicais que regem tua conduta, tua palavra, tuas realizações de embaixador encarnado de Outros Planos.

Pretendem, ainda, que vistas a toga da falsa modéstia e não digas seres quem és… Mas não sabem, os pobres coitados, que não dizes realmente, e apenas deixas que entrevejam aspectos de ti, para que não parem de aprender contigo, que apenas repetes o que te dizem de Mais Alto. Olvidam que o Cristo, o Parâmetro Máximo de dignidade e espiritualidade para o orbe terreno, declarava, sem qualquer pudor descabido, Ser (porque o Era e É, ainda hoje e sempre) “o Caminho, a Verdade e a Vida”. Tu apenas te proclamas Espelho de Panoramas mais elevados, porta-voz de Vozes mais avançadas, e os ouvidos demasiado melindrosos – prenhes de orgulho e falsidade, inveja e presunção – acusam-te de pretensioso, esquecidos dos Frutos que falam da Árvore, como outrossim disse o Mestre e Senhor, em Sua passagem física pelo globo terráqueo.

Perseguem-te os passos de homem de bem, com cobranças destemperadas e exigências pessoais completamente sem sentido, que te azorragam a mente, ao ponto de supores que não viverás muito tempo no organismo material que te foi concedido para a presente vilegiatura carnal, lembrando-te, intimamente, dos que te antecederam no empenho de Canalizar o Céu para a Terra, quase todos desencarnando precocemente e/ou de modo espetacular…

Recorda-te, porém, em contrapartida, prezado amigo, que, se isso acontecer, melhor será para ti, muito embora te agrade ao coração devoto ficar por mais tempo, para mais servires àqueles que te seguem à retaguarda. Rememora, por outro lado, que esse teu sagrado desejo de permanência no campo das sombras humanas é chancelado por Grandes Autoridades Espirituais, que esperam mantenhas-te encarnado, por período maior de tempo, na superfície da Terra, exatamente por seres a voz capaz de dizer o que outros se acovardam em falar, ao menos publicamente. Nota que, por esta razão sublime, depois de ano sobre ano de exposição contínua, no discurso derrubador de velhas estruturas castradoras do divino potencial em todo ser humano, vês o efeito de teu trabalho despontar por toda parte, como que miraculosamente… quais sementes a germinarem em solo fértil… a Gleba da Vontade Divina, imbatível e irrefreável!…

És o “palhaço” de Deus, a servires no “circo” da loucura humana, entretendo a plateia, para salvá-la dos perigos fora da lona que presides, diminuindo-te e abobalhando-te ante todos, para benefício geral de reflexão e consequente progresso – ainda que tais frutos levem anos para aparecerem plenamente. Outros, um tanto mais “espertos” (mas não “despertos”), observam-te com estranheza, como animal raro e bizarro, por te escancarares “sem necessidade”, provocando riso, choque, horror… Aceitar-te-iam muito mais, se fizesses a pose patética dos simulacros de virtude e santidade… Mas, porque não compactuas com o jogo das fantasias humanas, és, por isso mesmo, apesar de todas as provas do Céu multiplicadas em torno das trilhas de teu trabalho, apedrejado, de modo vergonhoso, por quem se dá ao desplante de atacar o Representante de uma Obra visível e escandalosamente oriunda de Deus!…

O tempo, porém, é o julgador implacável de todos os homens e mulheres. E o palhaço, que era apenas a outra face da medalha do sábio; e o aparente pervertido, que era a imagem externa a embrulhar o conduto da Luz Divina, mostrar-se-ão, patentes, como de fato são, diante da multidão… ainda que tão só após tua passagem para o Outro Lado, como tanto e sinceramente desejas, para que não haja culto a tua pessoa – nossos parabéns por isso também, estimado amigo!

Chico Xavier tinha estigmas nos pés, a marca simbólica das almas santas, ocultas do populacho! Bernadette Soubirous, apesar de aclamada santa por populares, em vida física, teve a prova máxima de sua pureza retratada tão somente depois de sua morte física, no corpo incorrupto que abandonou com seu decesso. Tu, no entanto, que te sentes tão normal como pessoa, tens os Sinais gritantes do Empíreo, em torno de tua trajetória de benfeitor da coletividade, qual se os Anjos dissessem à multidão ignara: “Atentem-se! Atentem-se! Aproveitem o que ele tem a dizer!” Só que não de modo oculto, como no caso de Chico; ou póstumo, como ocorreu a Bernadette, e sim de forma múltipla, presente e continuada, mês sobre mês, ano sobre ano… E… então, um poderoso silêncio faz com que a suspeita de muitos se revele… porque: “É demais para ser verdade… não pode ser verdade… só pode ser uma fraude… houve manipulação dos dados…” E prosseguem, loucamente, assumindo débitos clamorosos contra o Governo Oculto do Mundo, porquanto, além de não se beneficiarem das lições e graças despejadas pela Missão que encabeças no plano físico, ainda se põem contra Ela, por palavras, atos e pensamentos, que te atingem o coração e atrapalham o Passo d’Aquilo que é da Vontade de Deus para a Terra, Hoje.

A despeito de todo esse cortejo de infortúnios, rende graças aos Cristos de Deus, filho amado, porque, não importando o quanto te azucrinem o juízo decente, lúcido e transparente, perseveras, inabalável e progressivo, na realização do que te ordenam Teus Maiores, independente do quanto te onere pessoalmente, no transcurso dos anos… das décadas… leal aos Teus Superiores, mesmo quando já sabes, de antemão, o quanto cada gesto ou palavra em público te custarão em lágrimas, a posteriori.

Louvada sejas, alma boa, que com teu sacrifício ingente, de persistência sem compensações à altura do esforço constante que despendes (este sim, invisível à esmagadora maioria dos que te veem, sorridente e seguro, na maior parte das ocasiões em que te divisam a presença alegre e forte), permites seja estabelecida, sobre a Terra, enquanto durar tua encarnação, uma Fonte de Bênçãos e Graças inapreciáveis e, em vários aspectos, como acima dissemos, sem comparativos à altura, na história dos santuários religiosos sobre este corpo sideral.

Deixa que gritem os que seguem na retaguarda, e não admitem que estejas com a razão, e menos ainda que sejas um protegido das Alturas, contra Quem ninguém pode se opor. Deixa que urrem de horror e ódio, pois que, como asseverou Nosso Senhor Jesus, “haverá choro e ranger de dentes”, para os que forem “lançados às trevas exteriores”, que, sabes muito bem: são, metaforicamente, o “estar fora” da faixa de sabedoria que propões, clara, objetiva, racional e documentadamente, para quem quiser ver e ouvir com o coração desarmado, em Nome da Escola de Sabedoria de Que fundaste um Braço-Oásis na Terra, por ora desfrutado por muito poucos, em termos relativos ao que poderia beneficiar – não por falta tua, entrementes; e, sim, por teimosia egoica dos que não suportam reconhecer o valor de quem está sendo tão incisivo, aberto e não dissimulado, como és.

Por fim, olha para Cima… e vê Quem olha para ti!… Vê e ouve, porque podes ouvir a Voz d’Ela Mesma, acalentando-te a alma sensível, para que possas prosseguir um tanto mais, ainda que combalido e triste. E nota, tão querido amigo, que Ela não te endossa só em Palavras (que teu coração nobre pode diretamente captar), com Olhar Intraduzível de Mãe Celeste, mas, sobremaneira, por Eventos incompreensíveis à razão humana, que mesmo a matemática não explica (muito pelo contrário: atesta como provocados por uma Força e Inteligência Superiores), só podendo provir de Origem Divina, porque relacionados (tais eventos fenomenais) a assuntos de vida e morte, que todo religioso honesto sabe estarem afetos exclusivamente aos Desígnios do Criador – a fim de que todos vejam que não crias invencionices para impressionar ou te promoveres, mas que realmente és um embaixador das Alturas, por ora asilado no vale das sombras…

Reage, amigo, reage!… Serves a Maria Santíssima, a Mãe da Terra!… Luta por te apegares um pouco à condição de encarnado… à lama do charco – pútrida, mas fértil de infinitas possibilidades para o amanhã –, para que não termines por te desligar do lodo abençoado, que propicia a sobrevivência e a evolução de tantos seres de consciência embrionária, para as Luzes Augustas que já podes diretamente fitar.

Tem em mente o martírio dos antigos Representantes do Céu, que te foram predecessores, e segue, um tanto mais, quanto puderes, na trajetória de Bem que te foi assinalada de Cima. Podes voltar agora ou amanhã – quando quiseres. Mas, se possível, em Nome da Comunidade das Mães e Pais Celestes, que ainda querem salvar mais alguns: fica, amigo, mais um pouco, com os pés marcados e sujos com a poeira úmida do chão espiritualmente putrefacto da crosta terrena, mas rico de húmus e vida, vida promissora… vida para a Vida Eterna!…

Salva mais alguns, muitos mais, e tua prece, tão cara e secreta, será atendida: “Que eu possa salvar a muitos, ainda que eu mesmo não me salve!…” Quem acreditaria que pensas e sentes assim? Quem acreditaria que tens esta ordem de coração? Quem acreditaria que qualquer pessoa possa ter ou já haver tido tal gênero de “sonho” ou “projeto pessoal”? Entanto, amado, Aqui em Cima, todos sabemos disso em ti, todos que partilhamos dessa mesma Onda Mental! E se nós sabemos, assim como, muito mais, as Forças que a Deus Representam… e não só te aprovamos, damos-te suporte, mas ainda te pedimos que te mantenhas no solo firme da Terra… que mais te importa?…

(Texto recebido na madrugada de 20 de maio de 2011.)


Ajude a santa e sábia Mestra Espiritual Eugênia e Seus Amigos igualmente Mestres Desencarnados a disseminarem Suas ideias de sabedoria e amor, e, com isso, tornarem o nosso mundo mais feliz e pacífico. Basta que encaminhe este arquivo a sua rede de e-mails. Para tanto, utilize a ferramenta abaixo, com os dizeres: “Envie esta mensagem para seus amigos”.

Se você está fora de Sergipe, pode assistir à palestra de Benjamin de Aguiar, ao vivo, aqui mesmo, pelo nosso site, mediante uma colaboração simbólica, destinada à manutenção dos equipamentos utilizados na transmissão via internet. Para acessar-nos, basta que venha até cá, às 18h de domingos, horário de Aracaju (atualmente alinhado com o de Brasília), e siga as instruções aqui dispostas, em postagem específica. (Lembramos que a entrada para a aula presencial é gratuita.)




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: