Benjamin Teixeira de Aguiar

19 de novembro de 2009
 

Diálogo Tranquilizador com o Espírito Gustavo Henrique.

(Boletim de Expansão e Atividades do Salto Quântico – 04.)


Intróito:

Prezados Amigos:

Publico, abaixo, trecho do diálogo travado, nesta madrugada, com o Espírito Gustavo Henrique, a respeito de minha saúde, à guisa de boletim de amor, para tranquilizar-lhes os corações solidários. De minha parte, posso adiantar que estou me sentindo bem melhor, custando a crer que realmente precise seguir a tal recomendação de quarentena… Ah… como disse um salto-quantista residente na Europa: “teimosia”… (risos)

Antes de me despedir, agradeço, de público, os tantos protestos de melhoria e as promessas de orações intercessórias, para que minha encarnação se distenda o máximo possível e eu acerte o mais que puder, no trabalho de alta delicadeza e importância de servir à Nossa Mestra Eugênia, no plano físico de vida. Não dispenso, realmente, estas preces, em considerando a extensão de minhas limitações humanas, em cotejo com a grandeza imensurável de sabedoria e amor da Representante de Maria Santíssima.

Irmão em Cristo, Jesus e Maria Cristo,
Benjamin Teixeira (Mamin),
Aracaju, 3h30 da madrugada de 19 de novembro de 2009.

Benjamin Teixeira
em diálogo com o Espírito Gustavo Henrique.

(Benjamin Teixeira) – Pe. Gustavo, qual o motivo desta minha recaída no quadro de estresse, incluindo o ciclo anterior?

(Espírito Gustavo Henrique) – Forte sugestão a reajuste do regímen de atividades a que o amigo se devota, de molde a que, se o companheiro autorizar, em sua própria rotina, modificações permanentes – que lhe permitam maior serenidade no cumprimento das tarefas, maior tempo de recolhimento à psicografia, à psicofonia, às orações e meditações –, e não só no período de “quarentena”, poderá permanecer encarnado, entre seus amigos, pela extensão de tempo que lhe foi programada.

(BT) – Isso pode ser discutido publicamente? Digo: o tempo que me foi planejado viver nesta reencarnação?

(EGH) – Não.

(BT) – Mas eu cheguei a falar sobre datas para “desencarnes potenciais” meus, há aproximadamente sete anos, em público.

(EGH) – Dados próximos da realidade, mas não de todo exatos.

(BT) – Houve modificações nos mapas cármicos ou eu filtrei mal os dados?

(EGH) – Houve modificações na planificação.

(BT) – Para melhor ou para pior?

(EGH) – O que quer dizer com melhor ou pior? Ficar mais ou menos tempo conectado a este corpo de carne? Não estamos autorizados a dizer algo neste sentido. Retornar para cá, por sinal, pode constituir um prêmio para o trabalhador do Bem, não é verdade? Seria isso, então, a modificação para melhor a que se refere?

(BT) – Nem a mim, em reservado, pode-se dizer algo mais explícito, neste sentido?

(EGH) – Nem a você.

(BT) – Considerando o conhecimento que têm de minha personalidade e dos esforços que venho fazendo em atender-lhe as recomendações de repouso, alimentação e atividade física moderada, acredita que darei conta de minha programação cármica de trabalho?

(EGH) – Sim; a probabilidade é alta.

(BT) – Que ordem de mudança devo empreender, por exemplo, em caráter permanente, além do período de quarentena no repouso a que estou submetido?

(EGH) – Um dos elementos é suspender os atendimentos em consultório nas quartas-feiras, e reservar as sextas-feiras para tanto. Deve ter mais um dia na semana, exclusivo para atividades conosco, em casa.

(BT) – Mas não posso atender na próxima sexta, não é?

(EGH) – Não.

(BT) – E na seguinte?

(EGH) – O período de recolhimento “compulsório”, por “ordem médica”, era para ser de quarenta dias.

(BT) – Mas precisarei viajar, como agendado, na próxima semana, à capital da República.

(EGH) – Os assuntos de interesse nacional estão acima das questiúnculas que o consomem, amiúde, de caráter mais individualizado, ou seja: as dores de ordem pessoal dos que o procuram. O sacrifício pelo bem comum é sempre honroso. 200 milhões de brasileiros estão envolvidos, diretamente, com as questões de Brasília, só para considerar o momento presente, sem falar dos efeitos em dominó, com benefícios cumulativos, para as gerações que se seguirão, de centenas de milhões d’outros brasileiros ainda não reencarnados. O trabalho iniciado há oito anos deve prosseguir…

(BT) – O programa de TV: posso gravá-lo amanhã, pessoalmente?

(EGH) – Sim. O raciocínio é o mesmo que para a questão anterior. Tudo que tem caráter coletivo e impessoal, quais as publicações do site e os programas de televisão, deve prosseguir, ainda que nos custe as vidas, como o fizeram os mártires do Cristianismo primordial, entregando os corpos aos postes de imolação pública, enquanto cantavam hosanas ao Senhor, na antecâmara das alegrias celestes que em breve desfrutariam…

(A voz do Espírito Eugênia interveio neste momento, em tom profético. Em seguida, voltei a ouvir e sentir apenas o Pe. Gustavo Henrique.)

(BT) – Algo mais a dizer?

(EGH) – Sim. Que as filas de abraços, após as palestras, devem ser apenas para cumprimentos, não para bate-papos. Mesmo consultas ou relatórios de trabalho da Causa devem ficar para depois de concluída a tal fila, e só podendo se aproximar do amigo o postulante à conversa, após a triagem dos companheiros entrevistadores – isso deve ser reforçado nos avisos, toda semana, antes de começar-se a palestra. Se não temos respeito devido com os limites da alimária dócil de seu corpo físico, não poderemos contar com ele, pelo tempo que desejamos e planificamos, em função de compromissos e ascendentes consideráveis de trabalho.

(BT) – Certo. Mais algo?

(EGH) – Não.

(BT) – Meu movimento de publicar este nosso diálogo é correto?

(EGH) – Sim.

(BT) – Então, há os que estejam preocupados, esperando meu desencarne para qualquer hora, e estamos tranquilizando-os, é isso?

(EGH) – Qualquer indivíduo pode desencarnar a qualquer hora. Não é esta a questão que nos motiva a trazer a lume esta nossa conversação despretensiosa. Queremos apenas que esperem menos atenção personalizada, vinda direta e pessoalmente de você, como se ela fosse devida, como se fosse uma obrigação sua. Sua obrigação é com a multidão e não com esta ou aquela pessoa em particular. E que, por tabela, você também se preocupe menos em prestar esta ordem de cuidados individualizados, em função dos ascendentes relevantes com a coletividade de que se reveste nosso trabalho, há tantos anos ininterruptamente lançando luz sobre as sombras da Crosta.

(BT) – Noto-o com um traço lacônico hoje, aqui ou ali.

(EGH) – Estou podendo responder sumariamente. Logo, não há motivos para estender a fraseologia. Sendo necessários maiores esclarecimentos, fazemo-lo, distendendo um pouco a resposta, qual o fizemos a esta indagação que agora atendemos, como também à anterior.

(BT) – Não estou querendo suspender o diálogo. Gosto de sentir sua energia, seu bom coração.

(EGH) – Obrigado. É recíproco. Mas a hora é chegada. Prossiga nas demais atividades programadas para a madrugada. Jesus e Maria nos abençoem sempre. Servidor e pai, Gustavo.

(Diálogo travado em 19 de novembro de 2009.)

(Houve mais duas postagens novas, além desta, nesta madrugada, no site. Acesse a interface do site e clique nas opções desejadas.)




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: