Benjamin Teixeira de Aguiar

17 de dezembro de 2008
 

Uma Insólita Reunião Mediúnica.

(Registros da Mediunidade – 02.)

Benjamin Teixeira
e o espírito
Eugênia.

Após uma exaustiva viagem de retorno ao Brasil, em seguida à realização de nosso périplo anual de conferências nos EUA, ladeado de sete amigos – desta vez, num embaralhamento de conexões aeroportuárias que cobriu, ao todo, 60h de viagem (isso mesmo: quase três dias inteiros), incluindo o extravio de nossas bagagens (minhas e de meus companheiros, todas já recuperadas agora) –, e depois de feita a bombástica revelação deste domingo, a respeito das linhas de trabalho e orientação ideológica de nosso Instituto (o exato motivo por que as organizações criminosas do Além tanto queriam me impedir de adentrar terras pátrias), acabei por quedar-me doente, ficando acamado, nesta terça-feira. Nada grave, mas foi-me pedido, por médicos das duas dimensões, conforme abaixo esclarece a amável e sábia mestra Eugênia, que me resguardasse do contato com muita gente, já que acabaria me estressando, na preocupação de atender às necessidades de todos, como normalmente o faço, ao capitanear grupos de estudos ou conferências. Assim, poderia reservar forças para a gravação do programa de TV, no dia seguinte, quarta-feira.

Qual surpresa não foi a minha, quando, no exato momento em que começava a primeira meia hora de estudos prévios da reunião mediúnica de terças, às 19h30, Eugênia propôs-me participasse, à distância, do trabalho em grupo, fazendo conexão com o parlamento mediúnico, por meio de aparelho celular de um dos amigos-irmãos componentes da assembléia de companheiros em ideal, com acesso a e-mails, via através de que enviei o material produzido no transcurso dos sessenta minutos dedicados à tarefa de intercâmbio interdimensional (obviamente, apenas a parte que Eugênia supôs apropriada à publicação – houve falas íntimas d’Ela comigo, a que a preceptora desencarnada solicitou reservasse privacidade).

Segue-se cópia do que ocorreu, sumariamente, neste exercício invulgar de mediunidade, vivência magnífica propiciada pelos milagres da moderna tecnologia de comunicações, incluindo a teia internacional de computadores, a famigeradíssima e onipresente internet.

Paulo Soares foi o amigo designado a receber e passar adiante as mensagens coletivas ou individuais, que me fossem porventura transmitidas. Ele é nominado nos escritos, meus quanto de Eugênia, conforme se notará abaixo.

Benjamin Teixeira
Aracaju, 16 de dezembro de 2008.


Querido Paulo:
Gostaria que me fizesse o obséquio especialíssimo de, logo receba esta missiva eletrônica, passá-la os companheiros congregados, ainda que as atividades de estudo não hajam terminado, porque, de certa maneira, a leitura do texto compõe a tarefa de aprendizado da noite. Se já houverem sido principiadas as práticas mediúnicas, leia em voz alta, ante o grupo à meia luz, após conclusa a prece inicial, como um intróito que fomente esperança e estímulo, no campo das possibilidades infinitas para o porvir.
Mãe e mestra, Eugênia.
(Esta minha carta direta a você também deve ser lida.)

Prezados amigos e irmãos em ideal:

Hoje faremos uma experimentação curiosa, que muito poderá ser ampliada, no futuro – a composição multilocalizada de componentes da nossa reunião mediúnica.

Videoconferências e sistemas de comunicação à distância, para pequenos grupos, ofertados, à mancheias, pela rede mundial de computadores, já propiciam, de há muito, esta possibilidade. Faremos uso de tal recurso, em função de determinação médica de especialistas da nossa dimensão de vida e da de vocês, no sentido de o porta-voz asilar-se em isolamento físico, embora possa intercambiar com o colégio de almas irmãs, por meios eletrônicos, como este.

Não há, substancialmente, diferença entre esta vivência e a que se poderia desdobrar – em existindo pontes mediúnicas de nível – na hipótese, por exemplo, da ausência física do medianeiro em caráter mais definitivo, pelo decesso carnal, que pode acometer a qualquer um, em quaisquer tempo e lugar. Destarte, assistimos, neste momento, a uma experimentação “sui generis”, que dá comprovação dramática da supremacia do espírito (eterno e essencial) sobre o corpo (provisório e circunstancial).

Sempre com todos, respeitando as limitações que me são próprias, mas sob a cobertura de infinita bondade e poder de Nossa Mãe Santíssima, Maria de Nazaré,

Eugênia.
Psicografando de Andrômeda, para Aracaju, na noite de 16 de dezembro de 2008.

* * * * *

Paulão:

Eugênia conversou por um tempo comigo e, em seguida, passou a mensagem que se segue, a ser lida para todos, apenas ao fim da reunião mediúnica, quando houver espaço à permuta de impressões entre os companheiros.

Pode lê-la agora, se desejar, mas a partilha com os demais deve aguardar.

Mamin.


Hoje é um dia especial. Se prestar atenção, alguns dos seus antigos companheiros de ideal – incluindo os que mais apresentaram veementes protestos de fidelidade eterna, e que, assim, estariam com você, nesta crítica fase de transição – já não mais aqui se encontram. A triagem dos amigos de ideal e colegas de trabalho vai-se processando, à medida que o tempo passa. Tal ocorrência humana muito esperável, sobremaneira em atividade de ponta, altamente delicada e complexa como a que realizamos, exige-nos uma contraparte laboriosa: a da recomposição dos quadros de equipe operacional que foram desarticulados. Mas, como sempre, nos processos de renovação da vida, em que a morte encerra ciclos, para dar ocasião à renovação em medida mais profunda, é exatamente no evento da desconstrução que temos mais luzidia, plena e favorável oportunidade de reconstruir nossas vidas e nossas almas, do modo mais apropriado às nossas tendências genuínas e às finalidades precípuas que nos trouxeram a determinado contexto de circunstância social e humana.

Portanto, prezado amigo, quando notar que antigos irmãos de fé não mais ladeiam seus passos, medite um pouco mais acuradamente, e logo perceberá que eles não portavam as aptidões imprescindíveis ao bom desempenho de suas incumbências, nas ocupações e funções que lhes haviam sido indicadas ou a que se candidataram, quiçá, inclusive, movidos das mais sérias intenções de fazer o melhor. Outros, ainda, nem sequer se revelaram movidos pelos interesses apropriados ao gênero de serviço sagrado a que se devota o seu colégio de almas irmãs. Logo, uns e outros partiram em tempo certo, para liberar espaço àquel’outros que vêm aportando às engrenagens de nossa Organização, para ofertar recursos íntimos e outros, a serem ainda desenovelados, no concerto das realizações subidas que nos foram definidas pelo Governo Oculto do Mundo.

Vinte anos se passaram, desde nosso primeiro contato mediúnico de que você guarda nota, no banco da memória, e hoje, nos pródromos das comemorações de Natal (em que se celebra não só o nascimento de Nosso Senhor Jesus, mas também o surgimento da nossa interioridade para o mundo externo, do Cristo Interior, como Símbolo Vivo das nossas possibilidades de ideal que ainda não foram devidamente ativadas), partimos a reflexões relevantes, que sugerimos a todos os nossos amigos (constituintes de nossos quadros de colaboradores, associados e discípulos) concatenem, em matéria de exercício de lucidez, em todos os sentidos.

Toda realização de porte aguarda o amadurecimento dos elementos que a viabilizarão, para que possa ser edificada a contento, na ocasião adequada. Toda função de extrema responsabilidade espera que atinjam, os que a ela foram designados, nível de adultidade bastante, para que possa ser encampada e expressa, no mundo das formas. Todo processo evolucional sofre mecanismos intestinos, invisíveis, de incubação, para que ecloda, de modo pujante e irreversível, no âmbito das manifestações físicas de existência.

Assim aconteceu à nossa escola de pensamento, igualmente. Agora, em tempo certo, alcançamos o ponto em que seremos devidamente empossados nas programáticas de trabalho que nos cabem, desde antes que o projeto encarnatório de muitos dos amigos (e não só do porta-voz) gozasse de oportunidade a iniciar-se. Agora, o que deveríamos fazer poderá, realmente, ser feito; e o que não nos era cabido será, naturalmente, alijado de nosso seio.

Em suma, confiemo-nos à Nossa Mãe Santíssima, exorando-Lhe todas as bênçãos de fortaleza, perseverança, idealismo, fé e disposição ao trabalho no bem, para que sejamos galardoados com a graça da conclusão de todas as missões que nos foram confiadas, antes de darmos começo à descida reencarnatória dos prezados companheiros no domínio material de vida.

Sob esta égide sublime, declaramo-nos consagrados, integralmente, ao serviço que devemos prestar, na parcela do drama de redenção, resgate e transformação da Terra periclitante dos dias que correm, balouçando, sinistramente, à borda do abismo da auto-extinção civilizacional.

Mãe e mestra de todos, Eugênia.

* * * * *

Em Ursinha confirmando todos os dados da mensagem que se segue (*), prezado Paulão, publique o conteúdo ante os amigos presentes, porque Eugênia alerta que outros médiuns poderão ser confundidos com experiências equivalentes à dela, nos próximos dias. Esta ressalva que agora escrevo, como propósito à leitura da carta mediúnica a Ursinha, deve ser também lida, para que todos fiquem alerta.
Obrigado pelo apoio, aguardando confirmação da precisão dos dados contidos na mensagem,
Saudoso de todos,

Mamin.


Minha muito prezada Ursinha:

Como tem passado?

Hoje, reservar-me-ei o direito de ditar, de modo muito sumário, o texto que se segue, composto a partir dos relatórios que me foram trazidos, por assistentes dos trabalhos mediúnicos de que é responsável, em sua enfermaria espiritual doméstica:

Hoje, pela manhã, o ataque dos inimigos da causa espiritual na Terra foi bem justificado. Você se preocupou, naturalmente, em função da previsão levada a público, pelo porta-voz, de que os inimigos de nossa Organização se tranqüilizariam deveras, após o anúncio feito no domingo próximo passado, mas o médium fez alusão aos encarnados espiritistas ortodoxos, e não aos verdadeiros inimigos de nossa Instituição, as organizações criminosas do plano extrafísico de vida. Assim, a dúvida atroz a que se confiou, especulando tratar-se de um processo auto-obsessivo (em vez de uma captação genuína de vitupérios e hostilidades diversas de desencarnados), é completamente infundada. Houve o tratamento de entidades perturbadoras e inteligentes que lhe acossaram a psique, com argumentações pseudo-sábias contra nossa Escola de Pensamento, as quais foram muito bem rebatidas, pela cara companheira medianeira, através de orações feitas em voz alta e da duplicação da leitura de “O Evangelho segundo o Espiritismo”.

Para encerrar esta nossa fala fraterna muito breve, gostaria de apenas registrar nosso contentamento com a fase “mais intuitiva” e “menos mediúnica”, digamos assim, do desdobramento das atividades matinais de socorro aos sofredores desencarnados, sem a preocupação tão forte em captar com clareza o que acontece na enfermaria extrafísica. Há algumas semanas, vem desenvolvendo suas atividades no sentido de mais orar e meditar que perceber as presenças sofredoras e detalhes de seus quadros psíquicos, mas estava se corroendo de dúvidas e remorsos, com a impressão íntima de estar, talvez, desertando da tarefa que lhe foi incumbida. Ilusão grande, amiga. O companheiro médium já teve ocasião de lhe dizer, de viva-voz, em palestras públicas e em orientações de metodologia mediúnica, inclusive, que existe forte corrente de trabalhos espirituais, no plano físico, que sugere esta ordem de abordagem a que ora se dedica, bem mais apropriada, por sinal, em considerando a circunstância de ser desempenhada no seio do seu próprio ninho doméstico.

Confiando-a, bem como a todos os componentes desta reunião de estudos e trabalhos de intercâmbio com nossa dimensão de vida, à Nossa Mãe Amantíssima,

A mãe coletiva e professora limitada,

Eugênia,
Aracaju/Andrômeda, 16 de dezembro de 2008.

* * * * *

Obrigado pelo apoio e ajuda, Paulão, prestados a mim como a Eugênia, no transcurso de nossa reunião de hoje, e desculpe-me havê-lo subtraído de seu “brinquedo-serviço-de-ideal”, no esclarecimento a entidades, por meio de Cris. Participou, porém, você, acredito, com este seu sacrifício, de um momento histórico de nossas atividades mediúnicas, que nos mostra a possibilidade clara de trabalharmos juntos, onde quer e como quer que estejamos. Amor, Mamin.

(*) As informações constantes da missiva mediúnica dirigida à amiga-irmã Úrsula – conhecida, na intimidade, por Ursinha – estavam todas precisamente corretas.

(Revisão de Delano Mothé.)


Convite:

UMA CASCATA DE FENÔMENOS PRODIGIOSOS.

Bruxas belas, anjos na Terra, feitiçaria, zoantropia, clarividênvia viajora, ideoplastia, maldições, satélites obsessivos do ego, perigos a que estão expostos os que pertencem à Luz, socorros do Céu durante o sono, volitação, domínio sobre o próprio destino, transmutação de tristeza em felicidade. Por fim, a promessa, mais uma vez, do Espírito Eugênia: de fazer uma manifestação pública por incorporação, através do médium Benjamin Teixeira, na reunião pública do Salto Quântico deste domingo, 21 de dezembro. Às 19h30, no “Mega Espaço”, Rua Nossa Senhora das Dores, 588. Ministração de passes, a partir de 18h50. Atendimento fraterno (para você desabafar ou se aconselhar com alguém preparado), após a preleção. Evento angariando recursos para a exibição do programa Salto Quântico, em rede nacional de televisão – CNT, 15h30 de sábados (horário de Brasília); 9h de sábados (horário de Aracaju), apenas em Sergipe, Aperipê TV –, divulgando a salvadora mensagem da imortalidade da alma e da cobertura e inspiração da Espiritualidade Superior aos que fazem por merecer. A primeira visita tem sempre cortesia garantida. Informações adicionais pelo telefone 3041-4405.


Equipe Salto Quântico.




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: