Espírito Eugênia-Aspásia

10 de junho de 2008
 

O desafio da adaptação

Benjamin Teixeira
pelo espírito
Eugênia.

Não é nem um pouco fácil adaptar-se a uma realidade nova, mas não se esqueça de que a capacidade de adaptação é um dos atributos mais importantes da humanidade, constituindo um dos elementos que distinguem o gênero humano das espécies animais, na luta pela sobrevivência no plano físico.

Não tenha medo de mudanças. Acostume-se a elas; e, mais ainda: aprenda a dirigi-las, para que não seja arrastado, de roldão, pelas que vierem de fora, contrariando, amiúde, seus interesses pessoais. Em vez de encarar a mudança como uma fatalidade angustiante, compreenda-a como uma aventura excitante, que lhe cabe viver para crescer, a fim de, corrigindo pontos falhos em sua existência ou em si próprio, tornar-se mais feliz e realizado.

No mundo célere em que se converteu a civilização atual, não há mais espaço para as idéias anacrônicas, utópicas e infantis de constância eterna. Aceite a inevitabilidade da evanescência de tudo. Nada é para sempre – em seus aspectos superficiais de manifestação –, embora a essência de tudo seja imutável. As pessoas envelhecem e morrem, por mais que as amemos. Se não nos deixarem, a morte nos separará delas, numa ou noutra dimensão de Vida. As fortunas vêm e vão, o conhecimento fica obsoleto, a inteligência pode ser ultrapassada, por um nível de genialidade superior. Não há nada perpétuo. Então, viva à mudança, à busca constante da excelência, à flexibilidade, à versatilidade e adaptabilidade a todos os contextos e “habitats”; viva à auto-suficiência, ao desapego, ao aprendizado da busca e vivência da felicidade para agora, sem se angustiar pelo depois, muito embora se deva, paradoxalmente, planejar o futuro e, como acabamos de propor, até mesmo gerir, quanto possível, o processo de mudança pessoal.

Algumas coisas são permanentes, entre elas, inclusive, o princípio da impermanência. O amor, a honestidade, a justiça, o ideal de serviço e de empenho pela auto-realização são princípios que existem, em qualquer época ou circunstância, e devem ser rigorosamente seguidos, sob pena de se sofrerem sérias conseqüências. Todavia, as formas de expressão desses princípios, em cada quadro situacional e agrupamentos específicos de pessoas, variam ao infinito. É sobre isso que falamos. Não postulamos, portanto, o novidadismo barato, o espírito rebelde e irresponsável de quem quer ser do contra, ou de quem não consegue se ater a nada nem a ninguém, nem estabelecer compromissos ou responsabilidades. Apresentamos, sim, uma realidade existencial do ser humano: a necessidade de evolução constante, o impulso irrefreável do progresso, a que se deve habituar a mente, de modo a se evitarem graves prejuízos, em todos os departamentos da vida.

Pense nisso com cuidado, pense nisso agora. Não se abrace com muita força ao seu momento presente, porque o que é fresco apodrece, e você pode, em pouco tempo, estar intoxicado com os odores nauseabundos das carnes putrefatas de seus sonhos cadaverizados. Solte, solte-se e flua com a Vida. O futuro é sempre melhor que o presente, quando bem vivemos o hoje. Agarrar-se ao passado que está morto, ou ao presente que é fluido, equivale a querer deter as correntes de um rio, para bebê-las ou acumulá-las, provocando inundações, ou, pior: o apodrecimento das águas paradas. Você tem o direito e até o dever de persistir na busca de seus sonhos, mas não pode ficar preso às formas específicas com que eles se manifestam, em dado tempo ou conjuntura existencial. Solte a carne dos aspectos imaginários e egóicos de seus sonhos, e concentre-se na alma de seu ideal, que pode se adaptar a qualquer contexto ou circunstância.

Seja feliz confiando no Fluxo da Vida. Confie em Deus, confie em si mesmo. Confie no tempo e em sua capacidade pessoal de resolução de problemas. Acredite no poder do Bem e na vitória final da Verdade. Se não, a ansiedade e a angústia de agora e a tristeza e o pânico do amanhã ser-lhe-ão fatais, azucrinando-lhe a existência e retirando, de você, toda possibilidade de ser feliz e de estar em paz.

(Texto recebido em 13 de junho de 2000. Revisão atual de Delano Mothé.)


Convite:

FENÔMENO EXTRAORDINÁRIO em ARACAJU.

“O Céu despencou para nos visitar”, disseram vários; “Meu Deus! Isso existe?”, falaram outros; “Foi o dia mais feliz de minha vida!”, afirmou um jovem; “Tive impulso de me ajoelhar”, desabafaram inúmeras senhoras, olhos injetados de tanto chorar, no último domingo, ao final da palestra de Benjamin Teixeira, com a manifestação do espírito sábio e santo da adorável Eugênia, numa incorporação completa, que o médium nunca fizera em público, em 20 anos de atividade. Voz dulcíssima, sabedoria magistral e fluente, era, inequivocamente, a presença de um Ser Superior. Eugênia prometeu que voltaria, da mesma forma, por tempo indeterminado, ao fim das preleções do conhecido líder espiritual. Venha receber este presente do Céu. A renda é revertida para manutenção do programa em rede nacional de TV, que propicia que milhões de pessoas recebam, gratuitamente, a mensagem libertadora da imortalidade. Domingo, às 19h. Endereço e ingresso: 3041-4405.

Equipe Salto Quântico.




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: