Espírito Eugênia-Aspásia

31 de dezembro de 2007
 

Sopros de Sabedoria – 94.

(Equilíbrio entre disciplina e abertura ao novo.)


Benjamin Teixeira
pelo espírito
Eugênia.

Devemos nos conduzir com muito cuidado e ponderação, com impreterível disciplina; e, concomitante e paradoxalmente, com flexibilidade e abertura ao novo. Este padrão complexo de critério existencial, esta forma de sintonia com o futuro é a que melhor propicia a manifestação do mais aprimorado, do mais completo, da mais satisfatória linha pessoal de eventos, de destino.

Experimente este diapasão de alinhamento com o seu porvir, e se surpreenderá, pois que favorecerá um descortinar místico de possibilidades em seus horizontes de vida, de molde a permitir venha até você inclusive o que esteja fora de seus paradigmas presentes de realização, mas que, simultaneamente, não fira parâmetros principiológicos basilares à sua espiritualidade e moralidade.

Quando alguém está rígido demais, faz uma triagem inconsciente do que pode ou não adentrar a própria existência, conforme modelos prévios de “certo-e-errado”, bloqueando-se para o inusitado, para a inovação. De inversa maneira, se uma pessoa é licenciosa, aberta exacerbadamente, não filtra o obviamente destrutivo, assim autorizando a introdução de agentes devastadores de suas riquezas interiores e das sementes de felicidade em sua própria intimidade. Lograr descobrir e viver um ponto de equilíbrio entre estes dois extremos é o que separa seres humanos comuns de gênios revolucionários. Tal ponto ótimo constitui, todavia, uma sintonia tão fina, que, mesmo para as mentes mais brilhantes, é difícil obter, como conquista plena e contínua, este “modus operandi” vivencial, muitas delas acabando por, em algum aspecto de suas existências, permitir a intromissão de fatores tóxicos à sua criatividade e inspiração.

(Texto recebido em 29 de dezembro de 2007. Revisão de Delano Mothé.)<–>




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: