Benjamin Teixeira de Aguiar

30 de julho de 2007
 

Após o Maria Cristo 2007.


por Benjamin Teixeira


Missão cumprida. Emoção gigante nas apresentações de Roy (o ex-Menudo), de Marilia, da Orquestra Sinfônica de Itabaiana, do corpo de baile da Academia Sergipana de Ballet, de tia Lalá com Renata Raíssa (especial); ponderação com a participação de Jácome Góes e brilho nas de Thaïs Bezerra e de minha irmã Olivia (que se deslocou para Aracaju, por apenas um dia, de São Paulo, com o fito de compor o culto à sábia-santa e à Mãe de Todos, apesar de completamente absorvida pelos ensaios exaustivos para uma grande produção teatral de Miguel Falabella); enlevo espiritual com os vídeos espetaculares em homenagem a Eugênia – contando, inclusive, com a apresentação de sua nova imagem para o mundo – e, por fim, é claro, com a bombástica mensagem da Carta de Nossa Senhora para este ano de 2007, recebida, no Plano Superior de Vida, pela grande Mestra da Felicidade. Para completar, a oportunidade de levar para casa um miniposter de Eugênia e um opúsculo contendo um resumo de sua filosofia.

Mais de mil pessoas comovidas (um incrível sucesso para um evento pago – com renda revertida para a transmissão em rede nacional de televisão do Salto Quântico). Espetáculo enxuto e com qualidade visivelmente incrementada, em relação aos anos anteriores. Comentário geral: “Cada ano melhor” – ao que respondo, em nome de todos os amigos e colaboradores que compõem nossa Organização: Graças a Deus, aos bons espíritos e ao trabalho primoroso e disciplinado de dezenas de profissionais, que se empenharam na realização da festa espiritual deste ano.

Paz, sentimento de dever cumprido e uma boa dose de esgotamento, com os múltiplos e numerosíssimos preparativos para a celebração em preito à Nossa Mãe Santíssima e a realização do show em si.

Para todos, meus votos de que o Cristo nasça no coração de cada um, seja em Sua expressão fraternal (Jesus), maternal (Maria) ou, como revelado na Epístola Mariana, em sua primeira exibição desta última noite: paternal (Gabriel).

O amigo e irmão em ideal,

Benjamin Teixeira.
Aracaju, madrugada de 30 de julho de 2007.

(Revisão de Delano Mothé.)




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: