Benjamin Teixeira de Aguiar

10 de março de 2007
 

Perspectivismo e Verdade.

(Culto do Evangelho com Eugênia – 03)

Benjamin Teixeira e o espírito Eugênia.

Reunidos para o almoço em minha residência, num núcleo muito próximo de companheiros, nesta última quinta-feira, 8 de março, dia sagrado à mulher, nas convenções de nossa cultura, conversávamos, com muito humor (quase todos os presentes eram mulheres), sobre a condição feminina no mundo, a opressão que seu gênero sofre, ainda, na Terra, acabando o colóquio por versar sobre distúrbios (alguns muito sutis) que surgem na conduta sexual de algumas mulheres, por conta desta lamentável circunstância sócio-cultural dos dias que correm.

Convidados, pela disciplina do tempo, a dar início ao nosso culto do Evangelho, uma amiga abriu, ao acaso, o capítulo 119 de “Pão Nosso” (Chico Xavier/Emmanuel), à guisa de leitura inicial, seguida da prece de outra companheira e de sorteio, providenciado por uma terceira, nas páginas de “O Livro dos Espíritos”, que nos ofertou à análise a questão 636. Ato contínuo, outra irmã em ideal abriu página de “O Evangelho segundo o Espiritismo”, brindando-nos com o item 29 do capítulo V.

Findas tais leituras, que ninguém se sentiu intuído a comentar, concentrei-me para a psicografia, e o doce e devoto espírito Irmã Brígida mostrou-se presente, com um lindo panegírico à mulher, ao que a nobre e sábia mentora espiritual Eugênia nos apresentou a estudo um breve ensaio filosófico a respeito das fronteiras tênues entre o bem e o mal, apontando a ferramenta ideal para que incorramos em menos erros no exercício do discernimento.

Feito isto, a estimada orientadora desencarnada grafou, por minhas mãos, o terceiro texto psicografado daquela tarde, dando a comunicar, em caráter privado porém, frases-sugestões para cada um dos convivas, conforme suas necessidades psicológicas e espirituais do dia. Desculpou-se ainda, Eugênia, por não escrever mais longamente mensagens de ordem pessoal, em vista de providências urgentes que clamavam ser mobilizadas por minha própria pessoa (embora auxiliado por eficientíssima equipe de cooperadores encarnados), nos preparativos gravíssimos para a estréia da transmissão de nosso programa de televisão, ao vivo, pela rede CNT, com seus 135 canais de TV espalhados por todo o território nacional, o que acontecerá neste sábado, às 16h (tanto de Brasília, como de Aracaju e Curitiba, sedes respectivas da central do Salto Quântico e da CNT), embora o programa local, na capital sergipana, tenha início meia hora antes, às 15h30min, portanto.

Hoje, será publicado o ensaio filosófico de Eugênia, e, amanhã, aqui mesmo, virá a lume o ensaio poético de Brígida.

Muita paz e felicidade para você, caro(a) leitor(a).

Benjamin Teixeira.
Aracaju, 8 de março de 2007.

“A respeito das mensagens das obras clássicas, no culto do Evangelho desta tarde, aprazer-me-ia tangenciar, tão-somente, o ponto capital de se buscar, para resolver os enigmas mais complexos da moral, da ética e da espiritualidade, o mirante privilegiado do sentimento amplamente desenvolvido na incondicionalidade fraterna.

Somente quem ama, e só quem se põe na perspectiva do amor, está apto a fazer julgamentos apropriados de eventos, circunstâncias e pessoas, de modo que realmente se coadune com a ótica do Plano Sublime, do prisma que mais favoreça o próprio crescimento e felicidade.

O bem é bem em toda parte, mas só será corretamente avaliado se observado do ângulo supremo do Bem Maior: Deus. Aproximemo-nos d’Ele, como nos propôs Jesus, ao dizer que o Criador faz nascer o Sol sobre justos e injustos. Aproximemo-nos d’Ele-Ela, pela excelsa experiência do Amor, a única que nos propiciará, de fato, alinhamento e conexão com Deus.

Eugênia.”

(Textos compostos em 8 de março de 2007. Revisão de Delano Mothé.)




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: