Espírito Eugênia-Aspásia

31 de outubro de 2006
 

Sopros de Sabedoria – 69.

Benjamin Teixeira
pelo espírito Eugênia.

O casamento é – ou pelo menos deve ser – uma expressão lídima da alma. Não é necessário haver convivas a uma festa faustosa, o que, inclusive, pode indicar um mau início para o que deve ter começo no coração dos nubentes. Quantos matrimônios, espetacularmente realizados, que apenas formalizam relações de pesadelo a dois? Casamento que não tenha começado antes da cerimônia, apenas entre os noivos, numa profunda comunhão de aspirações d’alma, não será verdadeiro, nem duradouro. Jungir interesses financeiros, sociais, políticos, acadêmicos ou econômicos nunca será a fórmula apropriada para relacionamentos satisfatórios de espírito a espírito, na compensação profunda de vibrações e energias do ser.

Por isso, se você quer que seu consórcio matrimonial dure, lembre-se de que tudo começa no imo do seu e do coração de seu candidato a cônjuge, de modo que os presentes à solenidade – incluindo o magistrado e/ou religioso que oficiam o ritual jurídico-espiritual –, bem como a solenidade em si mesma constituem, tão-somente, uma representação simbólica do que já deve ter acontecido apenas entre os dois parceiros e Deus. Somente Ela-Ele de fato tem poder para perfazer o vínculo esponsalício, com a participação do livre-arbítrio dos dois componentes do casal.

Eugênia.

(Psicografado em 30 de outubro de 2006, pelo médium Benjamin Teixeira. Revisão de Delano Mothé.)

Fonte: http://www.saltoquantico.com.br




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: