Espírito Irmã Brígida

15 de janeiro de 2006
 

Paz, em meio ao Atoleiro da Maldade Humana.

“A estas palavras, o sumo-sacerdote rasgou as vestes, exclamando: ‘Que necessidade temos ainda de testemunhas? Acabastes de ouvir a blasfêmia! Qual o vosso parecer?’ Eles responderam: ‘Merece a morte!’”

(Mateus, 26:65-66)

“O Filho do Homem vem, come e bebe, e dizem: ‘É um comilão e beberrão, amigo dos publicanos e dos devassos.’ Mas a sabedoria foi justificada por seus filhos.”

(Mateus, 11:19)

“Então se aproximaram d’Ele Seus discípulos e Lhe disseram: ‘Sabes que os fariseus se escandalizaram com as palavras que ouviram?’ Jesus respondeu: ‘Toda planta que meu Pai celeste não plantou será arrancada pela raiz. Deixai-os. São cegos e guias de cegos. Ora, se um cego conduz a outro, tombarão ambos na mesma vala.’”

(Mateus, 15:12-15)

“‘Em verdade vos digo: todos os pecados serão perdoados aos filhos dos homens, mesmo as suas blasfêmias; mas todo o que tiver blasfemado contra o Espírito Santo, jamais terá perdão, mas será culpado de um pecado eterno.’ Jesus falava assim porque tinham dito: ‘Ele tem um espírito imundo’.”

(Marcos, 3:28-30)


Benjamin Teixeira
pelo espírito
Irmã Brígida.

Queres paz e felicidade? Trabalha no bem, ainda mais.

Amigos não te compreendem os intentos? Reparte o bem, um tanto ainda.

Companheiros da véspera dão-te as costas? Dissemina a Luz em maior medida.

Tarefas se complicam e fazem-te mais sobrecarregado? Agradece a Deus o ensejo de serviço e dá um tanto mais de ti mesmo.

Em qualquer situação, prezado companheiro, entende a provação como convite à reflexão; a adversidade como oportunidade de fortalecer as próprias convicções; e a dor como convite alvissareiro a descobrires formas mais profundas e elevadas de alegria.

Alguns esbravejam, revoltados por não terem de ti o que seus caprichos pediam, e culpam-te por não seres o que eles gostariam que fosses, para atender-lhes às demandas imaturas e desmazeladas.

Faze silêncio em teu mundo íntimo e segue. A Justiça de Deus pesa invariavelmente sobre quem não se põe no caminho da Luz, ‘inda mais contra quem intenta bloquear a tarefa dos disseminadores da Luz. Quanto a ti, faz o bem a mancheias, sempre e mais, e estarás dando a resposta que o Céu quer: perseverança e fidelidade a teu compromisso, até o fim, esclarecendo e confortando quem puderes, com tua pena, teu coração, tua boca e teus atos.

Não és santo? E em que momento te apresentaste assim? Chocam-se por não te verem um anjo? E quando te colocaste na condição de luminar? Deixa-os, ingratos que esqueceram os benefícios da véspera, com a loucura que lhes é própria, e faze tua parte, porque ninguém engana a vida, e, cedo ou tarde, o fel do carma entorna na direção de quem não soube dar de si para o bem, ao reverso de perseguir o mal dos outros e divulgá-lo (quando não criando-o ou aumentando o existente), como se isto constituísse algum bem.

E, assim, derramando a linfa do céu, em forma de bondade e ternura com muitos, estarás curando todas as feridas de tua alma, porque Deus está sempre do lado de quem se põe na vanguarda do bem, na ausência de preconceitos de qualquer natureza, ainda que esta vanguarda seja incompreendida, perseguida, caluniada. O tempo, porém, em nome d’Ele, tudo esclarecerá, gerando tremendos revertérios contra quem se posicionou contra a força evolutiva que o Criador quer em todo povo e indivíduo.

Os perseguidores de Jesus consideravam-se homens de bem, em defesa da causa da Lei Mosaica. E, em nome de preconceitos de seu tempo, levaram à cruz o próprio Messias. E se fizeram a Ele, que não tinha mácula, quão fácil é achar motivos em seres humanos, para se condená-los sumariamente à “execução”! Cheios de indignação e de falso moralismo, os escribas e fariseus pagaram carma medonho, tão grande que o povo judeu perdeu território durante vinte séculos e sofre martírios e morticínios até hoje, sem descanso. Imagina, então, o que não tiveram que pagar, na conta individual, para saldar a dívida assumida com o Governo Oculto do Mundo!…

E se alguém não é ser de luz e ainda assim se esforça por fazer o bem em medida bem maior que o proporcional às suas condições, e é perseguido em vez de ser ajudado, o demérito pode ser ainda maior para o algoz, do que se houvesse atacado uma pessoa santa, porque, então, somam-se, à injustiça, a crueldade e a incoerência, já que os princípios do bom-senso e da fraternidade mandam estender-se a mão a quem cai, em vez de pugnar por afundar a cabeça de quem parece se afogar, nas águas do desespero. Apieda-te deles e segue, em paz. Loucos, condutores de loucos, todos haverão de cair no barranco, nas palavras do próprio Cristo.

Enquanto isto, dedica-te, como muito bem vens fazendo, à expansão de tuas atividades no bem, porque o Senhor está sempre do lado de quem faz o melhor e o bem maior, e não de quem se supõe melhor, porque quem se acredita melhor está, tão-somente, vivendo a psicose do orgulho, que faz ver o mundo pelo avesso, com as cores da ira e da traição, em vez de compelir a fazer o bem, que indicaria verdadeira sintonia com a Luz.

(Texto recebido em 13 de janeiro de 2006.)

(*) Nova fase de experimentação surge, para a publicação diária de psicografias (incluindo feriados e fins de semana). Esperamos que, desta vez, a iniciativa vingue, na co-produção com os espíritos.

(Nota do Médium)




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: