Artigos sobre mediunidade

19 de abril de 2005
 

Sugestão Singela aos Médiuns.

Benjamin Teixeira
pelo espírito
Gustavo Henrique (*).


Prezado amigo médium ostensivo:

Recebe, no teu corpo, por meio do teu psiquismo, as vibrações de irmãos sofredores que carecem do amparo que podes ofertar.
Ao reverso de sintonizar com eles, no dia a dia (o que constituiria obsessão), permite-te confranger, temporária e controladamente, com idéias e sentimentos que não são teus, nem pertencem a teu padrão habitual de ser, a fim de que quem vem atrás, na retaguarda evolutiva, experimente um pouco da luz espiritual que te já bafeja o espírito, mergulhado como estará, no teu cosmo psico-orgânico.

Muitos almejam o “estrelato” mediúnico, como se mediunidade fosse palco para a exibição pessoal. Ambicionam posições de destaque e relevo social, em que possam “brilhar”, como canais do Mundo Maior. Quem, todavia, aproxima-se da celebridade, por meio da mediunidade, sem a devida disciplina e discernimento, sem o amor aprofundado ao serviço do semelhante, corre severo risco de enveredar por equívocos lamentáveis, já que se fará, mais facilmente, joguete de forças caliginosas, que sempre intentam destruir os vexilários da Luz Divina. Os grandes embaixadores do Alto, ao se apresentarem aos galarins da fama, fazem-no quase se sentindo submetidos a tortura invisível aos olhos alheios.

Não vises à exposição pública, amigo, no trabalho espiritual, que, por excelência, exige reserva, recato e prudência, em todos os sentidos. Oferece, de reversa maneira, teu corpo e tua alma, teus ouvidos e teus olhos aos irmãos desencarnados que não prescindem de auxílio fraterno dos que permanecem jungidos a organismos de carne, nos quais possam haurir um pouco de emanações animais, que exalam dos que jazem reencarnados, emanações estas que lhes são refazedoras e estimulantes, o que lhes propicia adquirir vitalidade provisória, assim podendo recuperar a lucidez, ainda que parcialmente, e reavaliar escolhas feitas e, quiçá, com a ajuda efetiva de esclarecedores encarnados e desencarnados, possam demandar paragens de maior equilíbrio e ventura.

Médiuns apostos a grandes missões costumam participar, em larga medida, da extensão de inteligência e, mesmo, em vários aspectos, da virtude dos gênios do “mundo invisível”, d’onde manam as idéias revolucionárias de que se fazem embaixadores no plano físico. Nenhuma inteligência avançada, nenhum santo ou sábio do plano astral se dispõe a favorecer e compactuar com o culto do menor esforço de quem quer crescer às expensas das conquistas evolutivas alheias. Se insistires em pôr a ganância como o foco de tua busca espiritual, logo atrairás, para perto de ti, para tua convivência psíquica, entidades perversas e enganadoras, que te maximizarão as inclinações mesquinhas e te bloquearão todo crescimento efetivo rumo à verdade e à vida.

Dedica-te ao bem de teu semelhante, e, destarte, estende a palavra amiga, ainda que modesta; o gesto sincero de apoio, não obstante discreto e simples; e, por fim e não menos importante: teu ser inteiro à enfermagem espiritual das reuniões mediúnicas de desobsessão, e estarás prestando grande serviço ao Bem.

O vulgo está disposto a prestar homenagens aos que representam as esferas superiores de consciência, no mundo, mas raras são as criaturas que se mostram predispostas a ofertar (sob o critério de metodologia e disciplina mediúnicas de cura) seu corpo e sua alma aos desmazelos de irmãos menos felizes da dimensão extra-física de vida, como mais raras ainda as que reconhecem o valor ímpar de tal iniciativa de amor. Os anjos, todavia, agradecem o esforço benemérito, no desconforto físico e psicológico, deste lance louvável de altruísmo, humildade e solidariedade cristã.

Refaze, assim, teu conceito do que seja mediunidade sublimada. E se queres, realmente, crescer muito com Jesus, no ministério do intercâmbio intermundos, começa com o passe singelo, ofertado a enfermo desconhecido; com a palavra despretensiosa, mas fraterna, cedida a companheiro encarnado em estado de aflição; com a incorporação feia e angustiante de entidades perturbadas ou malévolas, em sessões de tratamento de desajustados da dimensão espiritual de vida.

E, por fim e mais importante que tudo, ora muito, suplicando a Deus a oportunidade de ser útil, sem esperar que as faculdades medianímicas se te façam espetacularmente claras. Dentro do possível, dá um pouco de conforto e esclarecimento, a quem quer que te cruze caminho, tão-somente pelo uso dos canais da boa-vontade e da inspiração, que se te farão instrumentos da Divina Providência no coração, favorecendo-te o ensejo bendito de te tornares representante da Divina Bondade, onde quer que ou com quem estiveres.

(Texto recebido em 19 de abril de 2005.)


(*) Embora todas as atividades desdobradas por mim, no campo mediúnico e espiritual, tenham direta supervisão de Eugênia, ainda que à distância, Gustavo Henrique, ao lado de Temístocles são os dirigentes mais imediatos da reunião mediúnica de desobsessão de que participo, semanalmente, funcionando, por lá, na condição, principalmente, de médium de “incorporação” das entidades infelizes do plano “inferior” de vida, ao lado de outros queridos amigos também dotados de mediunidade ostensiva, que cooperam na mesma tarefa socorrista-espiritual, enquanto outros companheiros encarnados se devotam ao mister de “esclarecer” as entidades manifestantes, favorecendo-lhes melhora de estado de espírito, sob inspiração dos orientadores desencarnados. Gustavo Henrique fala, assim, com conhecimento de causa, das delicadas responsabilidades e sutilezas correlacionadas à temática.

(Nota do Médium)




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: