Espírito Irmã Brígida

4 de fevereiro de 2005
 

Abençoada Oportunidade.

Benjamin Teixeira
pelo espírito
Irmã Brígida.


Este mundo ainda é um mundo dominado pelas forças da treva. Assim, a fé, a esperança e o amor do próximo encontrarão, por muito tempo, resistência máxima para o crente sincero, que deve se empenhar em persistir, a despeito das adversidades que se lhe constituem nos caminhos humanos.

Se você, querido amigo, candidato a servidor de Jesus ou já tarefeiro do Cristo, sente-se incurso em lutas de grande vulto, pelo engajamento ao ideal do bem, adiante-se em agradecer a oportunidade bendita de testemunho, porque, não fora assim, provavelmente estaria você alinhavado entre as falanges dos iludidos, estes sim, tão em sintonia com este mundo de sombras, que sequer encontram resistências dignas de nota a seus intentos menos dignos.

Sim, seria melhor que descobrisse a fraternidade, o estímulo a seus propósitos, o apoio de muitos, o carinho dos queridos. Todavia, se agora nota você o cerco fechado das trevas, n’outro tempo, recorde-se, foi muito pior: a vida era pedida àqueles que se ofereciam a Jesus, e inumeráveis foram imolados em plena via pública, para escárnio geral, sob variadas e medonhas formas de suplício. Ninguém hoje lhe pede o sacrifício da própria vida, nem o martírio permanente de seus sentimentos. Mas veja que razoável quota de esforço e privações naturalmente lhe seria cobrada, se você se matriculou nas escolas da Luz. Assim, sinta-se honrado com seu ensejo de demonstrar a própria fé, e encare-se como o terreno adusto do Grande Jardineiro, sendo amanhado para o plantio, certo de que os sulcos que se lhe abrem na alma serão benéficos, para que os filetes d’água inspirativa do plano superior, assim como o esterco bendito dos ataques gratuitos se lhe convertam, respectivamente, em irrigação e adubo imprescindíveis à colheita do bem, em seu próprio e em benefício de muitos outros.

Não desanime, neste momento de empenho máximo na perseguição de seu ideal. Lembre-se de que sempre foi assim e sempre será, enquanto o bem for minoritário nas forças constitutivas deste domínio da realidade. Levar a luz no mundo da treva significa magnífico consórcio com as Forças do Bem, mas também a inimizade gratuita e atordoante das forças do mal.

Seguir em paz, confiante no apoio do Divino Senhor, porém, é dever impostergável, já que o retrocesso nos propósitos do bem é lamentável dívida contraída pelo espírito, de difícil pagamento em futuras oportunidades, que, quiçá, retornarão, por lei do carma, abençoadamente dificultadas, para aprendizado do espírito calceta no vício da fuga e do menor esforço.

(Texto recebido em 2 de fevereiro de 2005.)




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: