Diálogos com outros Espíritos

5 de outubro de 2004
 

Diálogo sobre a Gerência da Própria Vida.

Benjamin Teixeira
pelo espírito
Temístocles(*).

Temístocles, bom dia. O espírito Eugênia disse-me que você teria algo a nos falar. Pode dizer-nos do que se trata?

Da comum falta de estratégia das pessoas, em conduzirem suas existências. É freqüente se lamentarem do fracasso em alcançar determinados objetivos, mas não as vemos estabelecendo, previamente, foco, logística ou, principalmente, disciplinando suas vidas em função disso. Esses três elementos são fundamentais, indispensáveis portanto, para que se possa atingir objetivos na vida. Primeiro, ter metas, focando a mente e pondo a existência em função delas; segundo, criando uma gerência de recursos, de tempo e de energia, para que se possa alcançar tais desideratos; por fim, disciplinando-se na fidelidade a esse roteiro, enquanto ele parecer sensato. Em resumo, permitam-me reiterar, a título de fixação do essencial: foco, logística e disciplina.

Extremamente importante o que disse.

Mas as pessoas continuam se lamuriando da falta de sucesso em suas iniciativas, por falta, na verdade, de bom senso e pensamento científico, na direção de suas existências. Se algo não deu certo, lastimam-se e entregam-se a toda sorte de sentimento auto-depreciativo, quando não de desespero e revolta, quando deveriam, tão-somente, sentar-se para reflexionar sobre os eventuais erros do procedimento anterior, para voltar à baila das iniciativas, com um plano diretor melhorado. Não se pode viver em função de confiar a Deus o encaminhamento do próprio destino. Deve-se trabalhar arduamente e desenvolver a própria inteligência, na aquisição de conhecimentos e competências adicionais, que agreguem valor à personalidade.

Magnífico. Obrigado. Mais algo a dizer?

Que aqueles que se mostram cépticos com relação à assistência espiritual, porque suas iniciativas não deram certo, após as haverem encomendado ao Plano Superior, declaram, tão-somente, seu sofrível grau de maturidade psicológica. Que se ore, que se peça inspiração a Deus e Seus emissários, mas que, quando se perceber em erro, verifique-se de que modo a própria razão pode apontar novos rumos de vida. A idéia aparentemente inteligente de tomar a perspectiva pessimista e de se declarar um ateu é, simplesmente, infantil. Deus não existe para poupar ninguém do esforço evolutivo. Quem quiser fazer comércio de facilidades com o Divino, fugindo a seus compromissos de esforço pessoal e auto-melhoria, acomodando-se a uma pseudo-vivência espiritual, estará fazendo da religião aquilo que Karl Marx chamava de “o ópio do povo”. A espiritualidade é um complemento à intelectualidade humana e não uma substituta dela; e, com certeza, não existe para amolentar o caráter dos indivíduos, e sim, muito pelo contrário, para fortalecer-lhes a fibra moral. Estas pessoas pretensamente espertas são, apenas, crianças presunçosas, que, ou acham que podem dobrar o Ser Supremo do Universo com suas lamúrias pueris, ou duvidam de Sua existência, porque não conseguem conceber que Ele não se submeta a seus caprichos, como se acostumaram a fazer com pais, tutores, cônjuges, ou outras pessoas de seu presente, bem como de seu passado, desta ou de outras existências.

(Diálogo travado em 4 de outubro de 2004.)

(*) Analista e estrategista desencarnado, Temístocles é dos mais brilhantes e profundos mentores do projeto Salto Quântico, dando-me a impressão, por vezes, de ser o mais criativo entre sues pares. Há muito tempo não transmite suas ricas mensagens públicas, vindo, hoje, a “matar” um longo jejum da coletividade de sua lavra rica, incisiva e persuasiva, eminentemente lógida e direta.

(Nota do Médium).




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: