Espírito Eugênia-Aspásia

14 de setembro de 2004
 

Decisões Dramáticas.

Benjamin Teixeira
pelo espírito
Eugênia.

Não se deixe seduzir pelas aparências do momento. As forças do mal gostam de encantar suas presas, dando a entender que o que é não é, ou que o que não é, é. Isso porque, fundamentalmente, o mal não tem força no universo, e só existe em função da ausência do Bem, a força-motriz de tudo. Assim, para a perspectiva do mal, que é inconsistente, esconder a verdade é o único meio eficaz de ludibriar.

Sendo assim, não tome decisões importantes, sob o efeito de emoções intensas ou em considerando, isoladamente, a conjuntura de certas circunstâncias. Vale sempre a pena esperar, antes de elaborar conclusões complexas e de implicações sérias (a não ser em casos graves de procrastinação inveterada). E, portanto, se agora você sente que seu coração está consternado, não confie nos juízos de valor a que for conduzido, como também não se fie a falar o que lhe vem à mente, ferindo entes queridos, ou agindo de forma incoerente com sua conduta normal, porque talvez seja exatamente essa a intenção dos agentes destrutivos que lhe inspiram tais pensamentos: que você aja de modo indevido e se comprometa desnecessariamente.

Sim, às vezes é necessário agir de modo rápido, eficiente e corajoso. Mas tenha sempre em suspeita convites ao desmazelo, à correria, ao radicalismo. Toda postura extremada peca pela infidelidade a um quadro geral, mais amplo, de que é parte componente. Assim, somente ocasiões em que se torne indiscutivelmente inequívoca a necessidade de agir célere e dramaticamente, como situações de emergência, em que a vida de pessoas está em risco, merecem atitudes intempestivas. Afora isso, a prudência, como signo de sabedoria e auto-domínio, será sempre a antecâmara de decisões judiciosas e adequadas, propiciadas pela maior ponderação e avaliação dos elementos envolvidos para a tomada de rumos.

(Texto recebido em 12 de setembro de 2004.)




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: