Espírito Eugênia-Aspásia

6 de setembro de 2002
 

Nas Teias da Obsessão.

Benjamin Teixeira
pelo espírito
Eugênia.

Algumas táticas psicológicas são típicas da obsessão, não importando em que medida partem do íntimo da própria psique atormentada ou de sugestões dos agentes maléficos invisíveis.

De qualquer forma, simplifiquemos, dizendo que constituem iniciativas deles.

Obsessores:

Instilam perspectivas pessimistas de vida. Segundo os quadros por eles pintados na mente aturdida, nada tem saída, as coisas nunca estiveram tão mal, e, é claro, vão ficar cada vez piores.

Confundem, dentro do possível, os raciocínios e sentimentos do indivíduo, deixando-o completamente à mercê de sua influência, pelo caos a que tentam induzir a casa mental hospedeira.

Afastam a pessoa de amigos, de entes queridos que possam ajudar, de figuras gabaritadas a dar soluções para seu problema.

Compelem à idéia de que Deus não é a solução, de que não adianta orar ou buscar ajuda das questões espirituais, como cultos religiosos, leituras salutares ou outros recursos socorristas como meditações, visualizações e mentalizações.

Fazem o possível para lançar o indivíduo no foco do desespero, hipnotizando-o no sentido de tudo desistir, não buscar o bem e entregar-se ao mal, ao medo, ao desânimo, à loucura, ao suicídio…

Se você, prezado amigo, sente-se envolvido por tal ordem de influências psíquicas, aquartele-se, de imediato e energicamente, na fortaleza da prece, da reflexão de conteúdo superior, na meditação e no estado de alerta, no sentido de vigiar-se em todos os sentidos e não se render a suas sugestões sinistras.

Aproveite para, sem estresse, com ajuda de alguém ou sozinho, verificar se algo existe em sua conduta que dramaticamente peça mudança, e que, indiretamente, justifique a permissão divina para esse estado de semi-delírio, como uma finalidade educativa da Divina Providência. Descoberto esse elemento, labore, quanto esteja ao seu alcance, no sentido de aplicá-lo na prática.

Crise é sinal de convite intenso de Deus a um nível mais alto de consciência, de felicidade, a uma qualidade mais profunda de pensamento e sentimento, a uma vida de mais significado e paz. Se você se sente tão conturbado a ponto de se julgar à beira do colapso mental, tranqüilize-se mais uma vez na prece, procurando-se colocar à disposição do que quer de você a Divina Sabedoria, e esteja certo de que o mal-estar reverterá em fantástica guinada de progresso íntimo e/ou externo, na mesma medida do quanto sofre agora. Quanto maior a loucura, mais profundo e extenso o processo de cura.

Por fim, tenha paciência. Tudo se resolve com paciência e calma. O torvelinho da perturbação quer que se precipite, que corra a fazer o que não deve, justamente quando menos habilitado está para raciocinar, concluir e decidir. Simplesmente deixe a tempestade passar, e logo terá condições de refletir melhor e, por conseguinte, chegar a melhores julgamentos sobre situação e estratégia a ser aplicada à sua solução.

Não tema: Deus está acima de todos os processos e vela por sua paz, nunca deixando à mercê de ataques inimigos nenhuma de suas criaturas, mas principalmente aquelas que se fazem canais de socorro a seu semelhante. Você vai vencer. Basta que, para tanto, busque fazer a sua parte, na mínima medida do necessário: ponderação, responsabilidade, dignidade, confiança no Amor Divino e o resto, amigo, tranqüilize-se: Ele fará por você.

(Texto recebido em 5 de setembro de 2002.)




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: