Espírito Eustáquio

28 de novembro de 2001
 

Equívoco e Esperança.

Benjamin Teixeira
pelo espírito
Eustáquio.

Não te perdoas em certo deslize.

Entretanto, antes de te impores vaticínio fatídico, por sentença inapelável da própria consciência, considera:

A culpa corrói: não te culpes – transforma-te.

A vergonha é vaidade: esquece o que pensam a teu respeito – regenera-te.

A dor é acerba na hora do deslize, mas pode ser aproveitada como ensejo de transformação íntima, com a fermentação do remorso, a ser utilizado como combustível na determinação de não mais incorrer no equívoco.

Sendo assim, ao revés de te considerares um revel incorrigível, alimenta-te de esperança e ergue-te. Por mais pecador, limitado ou deficiente que sejas, Deus é Infinita Bondade, não olvides, e, dessarte, conceder-te-á condições de soerguimento e compensação, pelos desvios do caminho do bem por que enveredaste.

Sendo assim, a única coisa agora a que te deves deter é a decisão, o mais profunda e inamovível que te sejas possível, de disciplinares a alma, embora respeitando teus pontos fracos, mas sendo inegociável em matéria do essencial, a fim de que possas criar uma base segura de harmonia e paz para teu espírito.

Faze isso, e renascerás, chegando um dia a agradecer a Deus – crê – pelo momento difícil que hoje atravessas, tamanhos os resultados benéficos do aprendizado que dele advirão.

(Texto recebido em 28 de novembro de 2001.)




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: