Espírito Eugênia-Aspásia

27 de agosto de 2001
 

Em Queda, de Novo.

Benjamin Teixeira pelo espírito Eugênia.

Você caiu de novo. Sentiu o cheiro da lama do charco. Chafurdou no lodo. Tocou com os lábios sedentos de mel o ardor do fel…

Considere, todavia, prezado amigo, que talvez a Divina bondade lhe tenha situado nessa experiência para lhe ensinar humildade, para lhe propiciar reflexão profunda, para lhe ensejar uma mudança verdadeira, não de aparências, não de impulsos momentâneos – mudanças repentinas são superficiais, não são duradouras, e, malogrando, deixou empós si a experiência devastadora da auto-estima que é a frustração das promessas para consigo mesmo.

Você tem estado, há muito tempo, com o ideal torturado. Não se angustie porém. Recorde-se de que o Cristo tudo sabe; que Deus, Infinito Amor, conhece os melhores caminhos para você; e que, amiúde, quando mais perdidos nos sentimos, mais podemos estar na rota mais curta para a redenção e a felicidade.

Sim, você caiu. Que tal se levantar agora, com todo gosto, e se dispor a não mais tornar a cair? Que tal aproveitar a vertigem da queda, para gerar o efeito turbo da subida às alturas? Os anjos, tenha certeza, não o condenam por não ser anjo. Deus, da mesma sorte, não vai lhe cobrar o que sabe não ser.

Relaxe, então, e aceite sua humanidade. Deus o vê, com inalterável carinho. Não houve qualquer alteração no conceito dEle a seu respeito ou na proteção e providência que lhe oferece. Não há nenhum castigo terrível esperando por você, na próxima esquina do destino. Somente quem para, por conta das quedas, está-se sentenciando a terríveis conseqüências: as decorrentes da inércia ante os vendavais da adversidade.

Você já passou por outras quedas, por outras vivências difíceis. E saiu delas, engrandecido, amadurecido. Por que temerá agora? Concentre suas energias no trabalho. Não perca tempo com bagatelas. Torne-se um com Deus, no serviço ao semelhante, e tudo se resolverá, no tempo certo.

Comece hoje um padrão novo. Inicie vida nova. Dê adeus aos velhos hábitos. Entregue-se, completamente, a seu empenho de ser feliz, confie-se integralmente a seu ideal renovador, e o resto, esteja certo: virá por conseqüência.

O desequilíbrio a que se confiou pode ser mensageiro do novo patamar de progresso a que terá que se lançar, a fim de absorver o caos num nível mais profundo de ordem.

Ouça seu coração: no fundo, sabe que está tudo bem. Esqueça o passado e pense no futuro. Recomeçar é palavra de comando para aqueles que de fato querem realizar. Não se perca em reflexões improfícuas a respeito do se foi. Foque a mente no que virá, no que pode fazer com o seu agora.

Perdoe-se e aceite-se de volta à casa de sua paz. Não feche as portas para si: permita-se ser recebido de volta, por seu coração generoso e tranqüilo, após a travessia cansativa e dolorosa da crise e da derrota. Não se confie à angústia da auto-flagelação psicológica, da auto-punição. Renuncie a querer ser bom: concentre-se em fazer mais, em fazer melhor, em construir novos mundos, novas realidades de felicidade e paz, para si e o seu semelhante. Tudo vai acabar bem. Tudo já está acabando bem.

(Texto recebido em 25 de agosto de 2001.)




Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: