Banners de sabedoria

23 de dezembro de 2000
 

A hora abençoada do fracasso

Benjamin Teixeira
pelo espírito
Gustavo Henrique.

Fracassou? Soerga-se de imediato e tome a dianteira, na frente de batalha e serviço. Não se renda a lamúrias ou deserções: elas implicam prejuízos ainda maiores que os que já padeceu. Se você agir com consciência, aplicando tudo que aprendeu na derrocada sofrida, poderá ressurgir das cinzas, muito melhor que antes, justamente por trazer a experiência colhida no erro e o estímulo para nunca mais incorrer na falta que a dor da derrota oferta.

Sei que isso é mais fácil de dizer que de fazer. Mas, ainda assim, entenda que somente por tentativas infatigáveis haveremos de chegar à condição de vitoriosos inabaláveis da virtude. O aprendizado não acontece de imediato. As repetições se fazem imprescindíveis para a boa fixação do conhecimento novo. Não pretenda, portanto, que as coisas funcionem de modo diverso com você.

Hoje, você falhou novamente. Sofreu o deslize que não esperava mais cometer, percebeu-se fraco como nunca, entristeceu-se consigo. Reanime-se, porém. Há sempre um amanhã, e o amanhã nunca é uma mera repetição do ontem, quando sabemos viver plenamente o hoje. Como o princípio do salto quântico revela, quando menos esperamos, percebemo-nos no nível seguinte de consciência, passando para os novos parâmetros não de forma linear, seqüencial ou lógica, mas de inopino, como resultado de processos subliminares complexos, nos subterrâneos de nossa psique.

Tenha paciência, assim, se seu momento de mudança não chegou. Ninguém controla revoluções: elas eclodem, e cabe-nos apenas aproveitar-lhes e gerir-lhes as forças, quando surgem. Quanto à espera, entretanto, não se trata de experiência passiva, mas sim de vivência consciente do aprendizado, assimilando todos os conteúdos possíveis ao crescimento pessoal.

Ignore o número de vezes que tenha errado antes. O equívoco não constitui um fracasso seu como pessoa; tão-somente uma experiência necessária ao próprio desenvolvimento. Quem vence não é quem não cometeu deslizes, e sim quem resvalou mais no erro, nessa ou em noutras existências, porque somente em errando se aprende, e somente aprendendo se pode acertar. Mude, assim, seu enfoque quanto ao tema de sucesso e derrota. As aparências enganam. O essencial é não se acovardar nem se amolentar na preguiça. Esforce-se, empenhe-se, decida-se, persista. Seus erros são seus melhores mestres. Receba-os de coração aberto. Nada de auto-recriminações estéreis. A depressão e o desânimo que lhe sobrevêm por resultado de perceber-se em falta pode, muito bem, constituir um elaborado mecanismo de fuga à responsabilidade e ao trabalho. Nunca ninguém lhe propôs que abandonasse a condição humana, para participar do Éden, de imediato. Serão suas parcas, modestas, mas constantes conquistas que fizer, no campo do bem, por determinação contínua de servir e de ser útil, que lhe conferirão as insígnias do mérito e da virtude.

Faça pouco, mas faça sempre. Se hoje não pode fazer muito, faça menos. Se não pode fazer com o padrão de qualidade que gostaria, faça com aquele que lhe for exeqüível. Se não pode fazer realmente nada, faça amanhã e se compense pelo que deixou de realizar hoje. Mas a idéia é: se você espera por ocasiões ideais para realizar o bem, elas nunca chegarão, mesmo porque é justamente em oportunidades de dificuldade que se desenvolvem as novas capacidades para se fazer melhor e mais intensamente o bem que se almeja.

Hoje é seu dia de mudança, por meio da realização do viável, ainda que apenas no campo invisível do ideal. Faça e dê o seu melhor, ainda hoje. Não deixe para amanhã, porque, amanhã, talvez não haja mais energia como agora, talvez a cadeia mística que sustinha vivo o ideal tenha sido rompida, justamente pela protelação indevida a que se tenha confiado.

Agora é o seu momento. É nesse momento de treva que tudo pode acontecer. Se você se lamenta, por a escuridão o confundir, saiba que é justamente em meio à noite escura da alma, como dizia São João da Cruz, que tudo aquilo que diz se tornar impraticável em tempo de crise se expande e consolida: a tenacidade, o entusiasmo, a vontade, a persistência, o espírito de ideal, o otimismo, a combatividade. Se tudo está bem, nada propele ao crescimento. Portanto, somente quando tudo parece bloquear a evolução é que, paradoxalmente, ela tem maiores chances de acontecer, efetiva, prodigamente, aos saltos quânticos, em meio a revoluções.

Sorria para os Céus, que lhe enviaram uma situação difícil, como um desafio à sua argúcia, inteligência, maturidade e bom senso. E, ante ela, pergunte-se, com abertura de mente e coração: Senhor, o que quer me ensinar ou me sugerir por meio dessa dor? Fazendo isso, facilmente criará padrões psicológicos que lhe permitirão notar como a vida é rica em ensejos ao crescimento e à felicidade, como temos tanto a agradecer e tão pouco a reclamar (quase sempre em relação a nós mesmos – quando já temos lucidez suficiente para notar que somos o pivô de tudo de ruim ou bom que acontece em nossas vidas.).

Seja feliz e não desista, sobretudo se está num momento difícil – momentos difíceis são momentos-chave de abertura, transcendência e vitória. Mesmo que tudo pareça apontar justamente para a direção contrária.

(Texto recebido em 21 de dezembro de 2000.)





Cadastre-se e receba mensagens por e-mail: